História do Mercadão de Madureira

Sinônimo de variedade e comércio popular, o Mercadão de Madureira, que mistura todas as classes sociais, definitivamente, faz parte da história da Cidade Maravilhosa. Algumas das memórias desse local rico em produtos e lembranças serão contadas pelo Diário do Rio.

O Mercadão de Madureira, localizado onde hoje em dia se encontra, data o ano de 1959. Entretanto, esse mundo de mercadorias surgiu um pouco antes, em outro lugar. Em 1914, o futuro Mercadão foi inaugurado como uma pequena feira livre, um ponto de venda de produtos agropecuários. Essa feira ficava onde é hoje a quadra do Império Serrano.

Quinze anos mais tarde, em 1929, uma obra de ampliação fez com que a feira livre se tornasse o maior centro de distribuição de alimentos do subúrbio. Duas décadas depois, em 1949, foram construídos mais 26 boxes para distribuição direta de mercadorias dos produtores a população.

O desenvolvimento acelerado do espaço – que, a cada dia, acumulava novos comerciantes saídos de feiras menores – motivou o então prefeito da cidade, Antônio Prado Júnior, a construir um pavilhão de boxes na área central do mercado. Na época, Prado Júnior afirmou na Câmara dos Deputados que ‘o futuro Mercado de Madureira, prestes a ser inaugurado, será dotado dos melhores requisitos, constituindo um tipo modelo, a servir de paradigma, quer para a melhoria e aperfeiçoamento dos demais já existentes, quer para orientar a construção de futuros mercados’. As obras de ampliação de 1929 transformaram o local no maior centro de distribuição de alimentos do subúrbio” frisa o site Multirio, que é focado em cultura carioca.

No dia 18 de dezembro de 1959, com a presença do Presidente Juscelino Kubitscheck, foi inaugurado no local onde até hoje se encontra, o Mercadão de Madureira, como passou a ser chamado.

Com ambientes amplos e infraestrutura, passou a ser um símbolo do comércio da cidade. Como consequência todo o comércio local se desenvolveu, a ponto de Madureira se tornar um dos maiores arrecadadores de impostos do Rio, e o Mercadão de Madureira passou definitivamente a fazer parte da vida das pessoas da nossa cidade” informa o site oficial do Mercadão.

Faltando nove anos para comemorar cinco décadas de existência (com o nome “Mercadão de Madureira”), o espaço sofreu um grave incêndio. Acontecimento que deixou muita gente abalada: “eu estava em casa quando aconteceu, mas foi muito chocante. Muitos lojistas foram para lá, desesperados” lembra Márcia Gomes, que trabalhava no Mercadão nessa época.

O problema foi superado. Em cinco de outubro de 2001, o Mercadão de Madureira reabriu as portas e no ano 2009 pôde celebrar os cinquenta anos de vida. Bom para as 80.000 pessoas que por dia, em média, visitam as mais de 580 lojas do espaço popular e democrático.

4 COMENTÁRIOS

  1. Morei logo em cima do Mercadão até os cinco anos e meus avós continuaram morando até 2004, mais ou menos. Passei minha infância andando ali, alimentando os animais, indo com o meu avô aos sábados fazer compras pela manhã… O Mercadão faz parte da minha história também! Vou lá até hoje sempre e só melhora ??

  2. Por isso continuo brigando contra o continuísmo de mais de 20 anos dessa atual administração, que estão levando o nosso comércio ao fracasso com uma politica amadora de propaganda coisas que não se adota no mundo atual é o amadorismo, e uma adm voltada ao ódio e ao rancor contra os próprios comerciantes que estão ali para o seu sustento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here