A construção que abriga o Instituto Brasileiro de Audiovisual (IBAV) ou a Escola de Cinema Darcy Ribeiro – como é mais conhecida – está localizada em uma parte conservada do centro histórico carioca. No início da Rua da Alfândega, o prédio é digno de belas imagens. Um filme épico.

A obra foi concluída em 1914. Neste período, aquela região da cidade do Rio de Janeiro passava por profundo desenvolvimento. Prédios próximos como os atuais centros culturais do Banco do Brasil e o dos Correios datam a mesma época.

[iframe width=”100%” height=”90″ src=”https://diariodorio.com/wp-content/uploads/2015/05/superbanner_66anos.swf-3.html”]
Com mais de meio século de tradição no mercado imobiliário da Cidade do Rio de Janeiro, a Sérgio Castro Imóveis exalta locais que visam a valorização da cultura e história da Cidade Maravilhosa.

O prédio foi construído para ser sede do Banco Germânico da América do Sul. Uma respeitada e importante instituição à época. “Veio o auge da Segunda Guerra Mundial e com todas as suas complicações, diretas ou indiretas, o Banco Germânico acabou perdendo espaço no mundo e aqui não foi diferente”, destaca o historiador Maurício Santos.

Em 1943, o patrimônio do banco foi incorporado à União e o prédio passou a ser do Estado Brasileiro.

Pouco tempo depois, no espaço onde hoje fica a sede da Escola de Cinema Darcy Ribeiro, passou a funcionar uma agência dos Correios. Já no ano de 2002, após uma reforma comandada pelo arquiteto Paulo Mendes da Rocha, passou a funcionar no prédio o IBAV e a Escola de Cinema Darcy Ribeiro.

O novo projeto para o antigo prédio foi liderado por cineastas como Ruy Guerra, Cacá Diegues e Nelson Pereira dos Santos. Além dos intelectuais Moacir Werneck de Castro e Rafael de Almeida Magalhães. A ideia inicial foi dos antropólogos Darcy Ribeiro e Irene Ferraz.

Neste mês de novembro, a Escola completa 15 anos de existência e celebra a data com uma série de eventos em sua sede, em seu prédio mais que centenário e histórico.

Felipe Lucena, autor deste texto, está lançando um livro de crônicas sobre o transporte público. Interessados podem comprar a obra clicando aqui.

 

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui