O sambódromo em construção

Essa construção fundamental para a espetacularização do carnaval do Rio de Janeiro tem 35 anos de idade. Parece jovem se comparada a outras obras históricas. No entanto, o Sambódromo tem muita história para contar. Com samba como trilha sonora.

A Passarela Professor Darcy Ribeiro, popularmente conhecida como Sambódromo, é um projeto de autoria do arquiteto Oscar Niemeyer e foi implantada durante o primeiro governo fluminense de Leonel Brizola (1983-1987).

Quando foi inaugurada, em 1984, a construção foi chamada de “Avenida dos Desfiles”. Posteriormente, seu nome oficial mudou para “Passarela do Samba”. Finalmente, a partir de 18 de fevereiro de 1987, passou a ser “Passarela Professor Darcy Ribeiro”, uma homenagem ao famoso antropólogo, principal mentor da obra.

O Sambódromo marcou o início do sistema de desfiles das escolas de samba em duas noites, ao invés de em apenas uma. Desde a inauguração, a Beija-flor de Nilópolis foi a agremiação que mais venceu carnavais, foram oito títulos.

Com mais de meio século de tradição no mercado imobiliário do Rio de Janeiro, a Sergio Castro Imóveis – a empresa que resolve contribui para a valorização da cultura carioca

O sambista precisava de um lar. Os desfiles das escolas de samba necessitavam da sua casa própria” afirmou o jornalista Vicente Dattoli em um texto publicado na edição de 2015 da Revista Beija-flor de Nilópolis – uma escola de vida.

Além de ser palco para os desfiles das escolas de samba, a Passarela Professor Darcy Ribeiro já recebeu outros acontecimentos, como shows de música, cultos evangélicos, exibições de motociclismo, óperas, e muito mais.

Em 2011 o Sambódromo passou por uma reforma, na qual, principalmente, os camarotes foram contemplados. Essas obras deixaram os espaços mais confortáveis e modernos, respeitando o projeto inicial.

Neste ano de 2019, a casa do carnaval carioca completa 35 anos. A festa já está marcada.

2 COMENTÁRIOS

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui