O Rio de Janeiro é conhecido, entre outras coisas, por sua beleza livre, aberta. Um dos locais do Rio que simboliza isso é a Lagoa Rodrigo de Freiras. Agora, imaginem um parque de diversões às margens dessa parte da cidade. Pois é essa é a história do Tivoli Park.



Siga nossas redes e assine nossa newsletter, de graça

Jornalismo sério, voltado ao Rio de Janeiro. Com sua redação e colunistas, o DIÁRIO DO RIO trabalha para sempre levar o melhor conteúdo para os leitores do site, espectadores dos nossos programas audiovisuais e ouvintes dos nossos podcasts. O jornal 100% carioca faz a diferença.

Inaugurado em 1972, não demorou muito para que o Parque virasse uma atração para cariocas e para pessoas que vinham de outros lugares. A proximidade com a Lagoa era um atrativo a mais.

Com mais de meio século de tradição no mercado imobiliário do Rio de Janeiro, a Sergio Castro Imóveis – a empresa que resolve contribui para a valorização da cultura carioca

Não havia internet, câmera digital, vídeo game… Para falar a verdade, naquela época não havia nem vídeo cassete! A cidade não tinha grandes shoppings centers e a diversão dos cariocas era mais fora do que dentro de casa, sempre ligada à praia, cinema, futebol, jardim zoológico e alguns circos que vez ou outra chegavam à cidade. E foi de um desses circos que surgiu o Tivoli Park: o Circo Orlando Orfei. Orlando Orfei, que já era famoso por causa de seu circo, resolveu continuar investindo no ramo do entretenimento e inaugurou o Tivoli Park da Lagoa, um parque sem concorrentes, pois o outro parque mais próximo era a Divertilândia que ficava em São Conrado, lugar que naqueles tempos não tinha um acesso tão fácil como hoje” destaca o site Doces Lembranças.

O nome foi uma homenagem ao famoso parque de diversões Tivoli, em Copenhague. O xará dinamarquês foi inaugurado em 1834 e é considerado o segundo parque de diversões mais antigo do mundo.

Cerca de dez anos depois da inauguração, veio o auge. Na década em que o rock nacional e as boates ditavam o ritmo no Rio de Janeiro, o Tivoli Park era um dos principais pontos de encontro dos jovens cariocas.

Os Anos 80 Sem sombra de dúvida foram os melhores anos do parque. No final da década de 70, algumas reformas já tinham acontecido, como a mudança da bilheteria, ampliação do estacionamento e a adoção do sistema de passaporte. Com isso se pagava a entrada e podia-se brincar o quanto quisesse em quase todas as atrações. Algo que era bem interessante e que chamava bastante gente ao parque eram os festivais. O mais famoso foi o “Festival do Sorvetão”, sempre acontecia no verão e, como o nome já dizia, todos que comprassem o passaporte tinham direito a um sorvete” pontua o Doces Lembranças.

Após esses anos de glória, o Tivoli Park, na década seguinte, passou por momentos menos felizes. Alguns acidentes e outros problemas levaram a Prefeitura do Rio, em 1995, a fechar o Parque.

Depois de anos tendo outras utilidades, o espaço onde ficava o Tivoli Park voltou a ser usado de uma forma que boa parte da população pudesse usufruir. Atualmente é o Parque dos Patins que está lá.

Imagina como era o Tivoli. Eu quero abrir aquela área toda. Transformar o terreno num grande parque para a população” disse o então vereador Eduardo Paes na época que o Parque dos Patins estava sendo construído.

Muito se fala sobre a cidade do Rio de Janeiro não ter um grande e moderno parque de diversões. Nesse e em outros sentidos, o Tivoli Park faz muita falta.

14 COMENTÁRIOS

  1. Em 1980 o Tivoli Park teve aqui na cidade de Goiânia, e um dos funcionários do Tivoli Park na época o Jose Carlos Bittencourt teve um envolvimento muito rapido com uma tia minha, e desse envolvimento nasceu uma criança que hoje é um pai de família e tem a maior vontade de obter informações sobre seu pai José Carlos Bittencourt, caso tenham alguma informação sobre o mesmo me avise através do seguinte e-mail

  2. Fui em 1994,eu tinha apenas 7 anos.Apesar de ver algumas atrações infantis quebradas em meio a poças d’água,tudo aquilo mexeu comigo.Foi a primeira vez que vi uma montanha russa na minha vida,a montanha espacial.Fiquei fascinado pelo Enterprise,rotor, aviãozinho, tobogã e a barca.Fui com minha família,e uma pena que era muito pequeno,e não me permitiam andar nós radicais.tinham placas falando sobre idade mínima.Nostalgia pura.

  3. Frequentei muito o Tivoli, no inicio dos anos 80… depois, meio que pelo meio dos anos 80 e no inicio de 90… a empresa que trabalhava, fechava o parque no dia das crianças para festa dos funcionários, muito show, não lembro quantas foram mas fui em 3.. todos muito boas, mas na ultima na no final da decada de 80, as coisas estavam meio precárias, o trem fantasma paraou no meio muitos carrinho de auto pista não funcionando o tal bicho da seda, a capa não fechava mais… funcionarios mal qualificados, mais preocupados em papear pelos cantos, banheiros e mal estado.. enfim.. uma pena… parece que empresarios sem visão, quando a coisa aperta, eles mantem os salarios gratificações e cortam a manutenção, essa que sustamente ira sustentar todo o resto.. vi um funcionario tentando arrumar um brinquedo, não era profissional da area, apenas um funcionario que acionava a alavanca, mas seu chefe disse, da seu jeito ai… se seu brinquendo não funcionar, vc não recebe.. enfim.. lamentavel… uma cidade turistica tinha tudo para investir em atrações desse tipo.. lembro que tempo atras, um empresário queria levar uma barca dessas rio niteroi para a lagoa, fazer uma boa reforma, montar um resturante e faria passeios no entorno da lagoa mas não foi aprovado, todos queria alguma vantagem para liberar, antes mesmo dele sbaer se ia ou não dar certo.. outro foi a tentativa de alargar o canal do jardim de ala e não so melhora as condiçoes da lagoa rodrigo de freitas, como trazer o esporte aquantico.. mas tambem não foi aprovado…tudo por que aprova, quer ter participação nos negocios, não uma visão medio longa prazo do benefico que poderia trazer para a cidade.. uma cidade litoranea, que deveira tem bons investimentos nessa area, esportes aquaticos, laser mas nada, bilhoes ja afundaram na baia de guanabara e nada mudou.. aprendi a andar de bicicleta em paquetá.. mais de decada sem ir la, fui num passeio fotografico que fique triste com as condições que encontrei… impressionante o descaso…enfim.. esse que so querem encher o bolso, que não tem amor ao que fazem.. esse pelo lado legal, nunca darão certo…
    Lembro que o José vasconcelos, um grande comediante, montou o que seria o 1o parque temático do Brasil, a vasconcelandia, infelizmente não conseguiu o patrocinio necessario e faliu tempos depois

    https://www1.folha.uol.com.br/fsp/dinheiro/fi160605.htm

  4. A última vez que fui no Tivoli foi em 1991, 4 anos antes do seu fechamento, e lembro que já estava com um ar bastante decadente… poucos funcionários, manutenção nitidamente precária com muito capim colonião no entorno, alguns brinquedos fechados como a pista oval de corrida de carrinhos que eu adorava… Dali até os acidentes era questão de tempo, mesmo. Uma pena. Realmente um absurdo uma cidade com caráter turístico como o RJ não ter um parque de grandes dimensões. Lembro de muitos anúncios na TV, lembro do radialista Paulo Barbosa, recentemente falecido, ainda em 1979 apresentando a Sessão das Nove, da antiga TVS(hoje SBT), que passava filmes de Bang Bang que meu pai gostava, telefonando para a casa dos telespectadores ao final do programa e soltando sempre a piadinha, enquanto telefonava, “papai me leva no Tivóli.. Não é Tivóli, meu filho, é Tivoli” ..

  5. Saudosista estou eu!! Do TIVOLI PARK DA LAGOA e tudo que se vivia nos anos 80 e 90 neste RJ…Estou com 48 anos, e aproveitei muito esta época, você saía para passear despreocupado….dava para andar em volta da lagoa depois bem tranquilo andar de bicicleta………Nem dá para acreditar como estamos hoje 2019…..e agora esta nova roda gigante tipo a Inglesa…pelo que ví uns R$50,00 na atual situação é bastante caro….e um lugar que houve enormes investimentos na época da Olimpíada e eu, que trabalho ao lado, atualmente vive vazio, cheio de moradores de rua…..triste foi até furtado a grade da Pira Olímpica…que tristeza

  6. Saudosista estou eu!! Do TIVOLI PARK DA LAGORA e tudo que se vivia nos anos 80 e 90 neste RJ…Estou com 48 anos, e aproveitei muito esta época, você saía para passear despreocupado….dava para andar em volta da lagoa depois bem tranquilo andar de bicicleta………Nem dá para acreditar como estamos hoje 2019…..e agora esta nova roda gigante tipo a Inglesa…pelo que ví uns R$50,00 na atual situação é bastante caro….e um lugar que houve enormes investimentos na época da Olimpíada e eu, que trabalho ao lado, atualmente vive vazio, cheio de moradores de rua…..triste foi até furtado a grade da Pira Olímpica…que tristeza

  7. Estou chorando de emoção neste momento, depois de ver essa reportagem.
    Fez e faz parte das lindas lembranças.
    Eu hoje com meus 50 anos choro de emoção.
    Um beijo a todos que vivenciaram está época linda e pura.
    Luis antonio morador de Coelho Neto.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui