Prédio da Petrobras à noite na copa do mundo por João Carlos Caribé

Uma obra iniciada nos anos 1960, mas com conceitos extremamente atuais e modernos. Isso pode definir o edifício-sede da Petrobras, mais uma emblemática construção que se encontra no centro do Rio de Janeiro.

Início da obra do predio da Petrobras

A obra teve início no ano 1967 e precisou do trabalho de 1.500 pessoas para ficar pronta. A inauguração veio quase uma década mais tarde, em 1974.

À primeira vista a estrutura moderna formada por cubos separados geometricamente por espaços vazios onde estão os chamados “jardins suspensos” impressiona. Esses jardins foram projetados pelo consagrado paisagista Roberto Burle Marx.

Com mais de meio século de tradição no mercado imobiliário da Cidade do Rio de Janeiro, a Sergio Castro Imóveis apoia construções que estão a serviço da população e ajudam a deixar nossa cidade ainda melhor.

Conhecido pelos funcionários da Petrobras como Edise (sigla de Edifício-Sede), projeto para essa construção foi resultado de um concurso nacional realizado por meio do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB).

Construção do Prédio da Petrobas

O edifício-sede da Petrobrás faz parte de um trio de grandes prédios governamentais inaugurados na década de 1970. O Edifício do BNDS e o do BNH completam a trinca.

“Estes edifícios podem ser considerados marcos da arquitetura moderna no tocante à edificações para grandes corporações, pelas suas formas, partido de projeto adotado, assim como pela estrutura e construção” frisa um trecho de um artigo do site de pesquisa Rio de Janeiro Aqui.

“Há quem brinque que esses três prédios formem o ‘triangulo das bermudas carioca’ por conta dos gastos que foram desembolsados dos cofres públicos para que eles fossem erguidos, tirando um sarro como se esse dinheiro tivesse desaparecido. Por outro lado, existe quem exalte essas três obras, considerando que o direcionamento dessa verba tenha sido um investimento, afinal são prédios que servem à população. De fato são construções modernas e visualmente muito bonitas. O prédio da Petrobras, mesmo sendo uma construção da década de 1960, conta com conceitos dos atuais prédios inteligentes” conta a arquiteta e pesquisadora Camilla Braga.

Anteprojeto do Prédio da Petrobras

No início desse ano, essa marcante construção se tornou centro de uma polêmica nada agradável. No dia 12 de fevereiro deste ano a 25ª Vara Cível do Rio de Janeiro determinou a hipoteca do edifício-sede da Petrobras no Rio de Janeiro. A medida serve como garantia para o pagamento de uma dívida de R$ 935 milhões à Refinaria Manguinhos.

Em dezembro de 2014, a Petrobras foi condenada a indenizar a refinaria, que entrou com o pedido de hipoteca judicial em janeiro, após os desdobramentos das denúncias de corrupção investigadas pela operação Lava Jato. A decisão é de primeiro grau e está sujeita a recurso.

Na época que esta notícia foi veiculada nos sites e jornais do país, a Petrobras afirmou que iria recorrer da decisão assim que fosse intimada pela Justiça do Rio. A estatal ainda disse que “não se pode falar em ‘dívida’, muito menos na possibilidade de ‘calote'”, referindo-se à situação com a Refinaria Manguinhos.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui