Policiamento no Rio de Janeiro
Foto: Governo do Estado

Mais um bom sinal de melhora no Rio de Janeiro. Em julho deste ano, o indicador homicídio doloso apresentou o menor número de vítimas no estado desde agosto de 2015: 309, uma redução de 25% em relação ao mesmo período do ano passado, e de 6% em relação a junho de 2019. No acumulado do ano, foram registradas 2.392 vítimas, o menor valor para o período de janeiro a julho desde 1991. Em relação ao mesmo período do ano passado, a queda foi de 23%, ou 709 mortes a menos no estado, quando comparado com o mesmo período de 2018. O número ainda é muito alto, altíssimo, mas qualquer boa notícia em segurança é para se comemorar.


O indicador letalidade violenta (homicídio doloso, roubo seguido de morte, lesão corporal seguida de morte e morte por intervenção de agente do Estado) também continua em declínio: diminuição de 7% em julho, quando comparado com o mesmo período do ano passado, e aumento de 6% em relação a junho de 2019. Já no acumulado do ano, foram registradas 3.566 mortes, uma redução de 14%, ou 578 vítimas a menos em comparação com o ano anterior. 


Em julho deste ano, 10 pessoas foram vítimas de roubo seguido de morte (latrocínio) e no acumulado do ano, 77 (34 a menos do que no mesmo período do ano passado). Em 2019, o indicador registrou a menor soma para o período desde 2014. As mortes por intervenção de agente do Estado aumentaram 49% em julho deste ano em relação ao mesmo período do ano passado.

Apreensão de armas

Nos sete primeiros meses deste ano, as polícias Civil e Militar apreenderam 5.077 armas de fogo, ou seja, foram retiradas das ruas do estado, em média, 24 armas por dia. No mesmo período, foram apreendidos 349 fuzis – o maior registro de apreensão desse tipo de arma desde o início da série histórica, em 2007.

Roubos em queda

Os crimes contra o patrimônio também continuam atingindo resultados positivos este ano. Em julho, os roubos de veículos registraram queda de 9% em relação ao mesmo mês de 2018. No acumulado do ano, a diminuição foi de 22% (o menor valor para o período desde 2017). Já nos roubos de rua (roubo a transeunte, roubo em coletivo e roubo de aparelho celular), a redução foi de 8% em julho e, no acumulado do ano, de 3% em relação a 2018. Os roubos de carga caíram 5%, e, no acumulado do ano, o indicador registrou a menor soma desde 2016 – representando um recuo de 19% na comparação.

Comparação trimestral por Área Integrada de Segurança Pública (AISP)

Na comparação entre maio e julho de 2019 com o mesmo período de 2018, duas AISPs da Baixada Fluminense tiveram resultados importantes: AISP 15 (Duque de Caxias) apresentou o maior recuo em morte por intervenção de agente do Estado e a segunda maior redução em roubo de rua. A AISP 24 (Queimados e adjacências) teve a maior queda nos homicídios dolosos.

Na capital, a AISP 16 (Olaria e adjacências) registrou a maior redução nos roubos de carga e o município de São Gonçalo (AISP 7) apresentou a maior diminuição nos roubos de rua e de veículos.

Os dados divulgados pelo Instituto de Segurança Pública (ISP) são referentes aos Registros de Ocorrência (ROs) lavrados nas delegacias de Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro durante o mês de julho. 

4 COMENTÁRIOS

  1. Sem considerar, ainda, que temos alguém à frente do governo especialista em fraude (que quando juiz palestrava para seus pares como conseguir benéficos dando jeitinho)…
    Quem garante que os dados do Instituto de Segurança Pública não sejam manipulados com jeitinho?

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui