Avenida Niemeyer passou por deslizamento de terra em maio deste ano - Foto: Reprodução/TV Globo

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou, nesta sexta-feira (29/11), um estudo inédito revelando que mais da metade da totalidade territorial do estado do Rio de Janeiro possui risco máximo de deslizamentos, deixando-o, assim, como o líder absoluto desse tipo de ameaça no Brasil.

O estudo avaliou a vulnerabilidade a deslizamentos no país e mostrou que 53,9% do estado do Rio de Janeiro está classificado com o nível máximo de risco. Outros 19,9% do território fluminense tem classificação de alto risco, sendo assim o 2º nível mais alto da análise.

No levantamento, 6 aspectos foram considerados: ”Geologia”, ”Geomorfologia”, ”Pedologia”, ”Cobertura e uso da terra e Vegetação”, ”Declividade” e ”Pluviosidade”.

”Após analisar os mapas de cada um deles e determinar critérios de importância, chegou-se a um mapa final que demonstra a suscetibilidade de deslizamentos de todo o país”, disse o IBGE.

Cinco intervalos de classificação da vulnerabilidade a deslizamentos foram estabelecidos: ”muito baixa”, ”baixa”, ”média”, ”alta” e ”muito alta”.

No início de novembro, o vereador Tarcísio Motta (PSOL) entregou ao Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) o relatório final da CPI das Enchentes, que investigou a responsabilidade do poder público na prevenção, redução dos efeitos e atendimento aos atingidos pelas enchentes e deslizamentos ocorridos em decorrência dos temporais de fevereiro e abril deste ano.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui