Paciente José Honório, de 56 anos, que recebeu o transplante triplo - Foto: Reprodução/TV Globo

O Rio de Janeiro entrou para a história no quesito cirurgias. Isso porque foi realizado no Hospital São Lucas, em Copacabana, na Zona Sul da capital fluminense, um transplante triplo de órgãos, doados pela mesma pessoa. O procedimento é inédito no Brasil.

O paciente é José Honório, de 56 anos, professor de lutas como jiu-jitsu, karatê e muay-thai. Há cerca de 10 anos, ele descobriu que tinha um problema de insuficiência cardíaca, que, posteriormente, acabou causando danos também em outros órgãos. Sendo assim, precisaria receber coração, fígado e rim novos. E todos vieram do mesmo doador.

Fachada do Hospital São Lucas, em Copacabana, onde foi realizada a cirurgia – Foto: Reprodução

Em um procedimento jamais realizado no país, que contou com o trabalho de 20 médicos no centro cirúrgico, José Honório recebeu primeiro o fígado e o coração. Ambos os órgãos vieram ligados do doador e foram implantados em bloco.

Após a circulação de sangue ser reestabelecida, e a constatação de que estava tudo transcorrendo conforme o previsto, os cirurgiões deram início ao implante do rim, que também ocorreu com sucesso. Ao todo, foram 11 horas de operação.

”Não foi uma decisão fácil. Uma decisão muito difícil de a gente chegar ao ponto de trocar 3 órgãos simultaneamente. Isso foi muito emocionante para todos nós e a gente ficou muito alegre de ver esse paciente já pedalando de bicicleta no CTI”, diz o médico Eduardo Fernandes, um dos responsáveis pelo procedimento.

Eduardo Fernandes, cirurgião de transplante de órgãos abdominais – Foto: Reprodução/TV Globo

Já em recuperação da cirurgia, José Honório diz que o acontecimento é um ”renascimento” e que, agora, quer conhecer seu neto, Gabriel, que nasceu e vive fora do Brasil. ”Estou muito, mas muito feliz. Estou muito na expectativa de conhecê-lo. Quero estar junto com eles o tempo que eu puder”, afirma.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui