Nísia Trindade Lima / Foto: Tomaz Silva

A presidente da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Nísia Trindade Lima acredita que o Brasil possa receber a matéria-prima para a fabricação da vacina AstraZeneca/Oxford até a segunda semana de fevereiro (“por volta do dia 8”). A previsão inicial de chegada do material, vindo da China, era o mês de janeiro. A Fiocruz, dessa forma, providenciará a importação de um 2º lote do imunizante, enquanto a fabricação nacional não começa.

A presidente da Fundação afirmou que não houve atraso no contrato firmado com a AstraZeneca. Também sobre o atraso dos produtos, Nísia Trindade Lima negou que a atuação da equipe diplomática do governo federal tenha prejudicado a entrega. O governo federal, através do ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, foi criticado pelas dificuldades durante as negociações com a China e a Índia.

A compra do segundo lote do imunizante ainda não tem data para ocorrer mas já está em negociação. Na semana passada, a farmacêutica AstraZeneca informou à União Europeia que entregaria menos remessas do que o previsto inicialmente, por causa de problemas de produção.

Na sexta-feira (22/01), chegaram ao Brasil 2 milhões de doses da vacina de Oxford compradas da Índia. As unidades já foram distribuídas aos Estados. O Plano Nacional de Imunização pode ser prejudicado pela demora e baixa quantidade de vacinas que aqui chegam.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui