Eloisa Fontes com a mãe e o irmão após sete meses na clínica de reabilitação (Foto: Reprodução Jornal Extra)

Depois de uma carreira glamorosa, com todo tipo de requintes e regalias, a modelo brasileira Eloisa Fontes, que participou de desfiles e de campanhas na Europa para grifes como Dolce & Gabbana e Giorgio Armani, atualmente, segundo reportagem do jornal Extra, vive em condições precárias e em situação de pobreza na casa de sua família, no interior de Alagoas.

Em outubro de 2020, Eloisa foi encontrada por guardas municipais na favela do Cantagalo, em Ipanema, na Zona Sul do Rio. Visivelmente fora de si na ocasião, ela acabou sendo internada no Instituto Municipal Philippe Pinel, especializado no atendimento de pacientes que sofrem de transtorno mental.

Com histórico de dependência química, a modelo foi transferida para uma clínica em Alagoas, antes voltar para a casa da família, onde vive com a mãe Luciene.

A mãe de Eloísa, aliás, conta apenas com a renda do auxílio doença que tem, e não consegue arcar com custos da filha com medicamentos. Eloisa, que chegou a ganhar R$ 35 mil por foto, não tinha dinheiro guardado e agora depende da ajuda do irmão Samuel, que mora a quase uma hora do sítio em Alagoas onde a modelo vive.

“Estou desempregado há quatro anos e não tenho condições de dar mais assistência. Decidi abrir uma vaquinha para tentar comprar nem que seja um veículo qualquer e fazer esse trajeto que faço todo dia a pé, e juntar outro dinheiro para ajudar no sustento dela”, justifica Samuel.

Nesta terça-feira (21/09), Eloísa fez 28 anos e revelou a intenção de retomar a carreira de modelo.

O que eu quero para minha vida é um futuro brilhante. Porque nasci de novo. E sinto que minha vida acabou de começar”, disse a modelo ao Extra, na primeira entrevista concedida desde o episódio da internação no ano passado no Rio.

“Modelar está nas minhas veias. Eu sou uma profissional”, finaliza em tom de esperança e recomeço de vida.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui