De Jesus Cristo ao Coringa, Joaquin Phoenix já fez todo tipo de personagem. E, o mais importante, eles poderiam ser confundidos com a própria personalidade do ator, tal é a intensidade com que Joaquin se joga em cada uma de suas performances.



Siga nossas redes e assine nossa newsletter, de graça

Jornalismo sério, voltado ao Rio de Janeiro. Com sua redação e colunistas, o DIÁRIO DO RIO trabalha para sempre levar o melhor conteúdo para os leitores do site, espectadores dos nossos programas audiovisuais e ouvintes dos nossos podcasts. O jornal 100% carioca faz a diferença.

Joaquin Phoenix nasceu em 1974 em Porto Rico. Ele era o irmão mais novo do River Phoenix, um ator que estava apontado como a nova grande promessa de Hollywood nos anos noventa, quando infelizmente faleceu em 1993, aos 23 anos. Como River, o Joaquin começou a atuar bem novo, ainda criança. Mas ao entrar na vida adulta ele passou a viver à sombra do irmão falecido. Todo mundo pensava, “puxa, perdemos o Phoenix mais talentoso”. Mas o Joaquin não demorou a mostrar que também possuía um talento imenso. Tanto que até hoje ele já foi indicado três vezes ao Oscar.

Concorreu à estatueta de Melhor Ator Coadjuvante por Gladiador e entrou no páreo na categoria principal por seus desempenhos como Johnny Cash  em Johnny & June e como o pupilo de Philip Seymour Haffman em O Mestre.

Hoffman era um ator excepcional e até ele ficou impressionado com o fato de Joaquin se manter no personagem o tempo todo.  Não é à toa que Phoenix tem fama de difícil.

Ele pode ser difícil, mas seus trabalhos também são complexos. E nesse Listas, a gente vai destacar três de seus grandes momentos no cinema. Nossa primeira dica é Ela, um misto de drama romântico e ficção científica.

Phoenix é Theodore, um sujeito solitário que vive uma vida enclausurada em arranha-céus, tanto no trabalho como em casa. Ele resolve comprar uma versão avançada de um sistema operacional inteligente, capaz de evoluir quase como um ser humano.

Esse sistema se chama Samantha. Samantha tem a voz de Scarlett Johansson e, bom… Theodore se apaixona por essa entidade tecnológica incorpórea.

Os problemas logo aparecem. E não estou nem falando sobre o fato de sua amada ser um sistema operacional.

“Ela” é uma criação de Spike Jonze.

O mesmo diretor de Quero Ser John Malkovich e Adaptação. Ela foi o primeiro roteiro de sua autoria que ele próprio dirige. O cenário é uma Los Angeles imaginária que, na verdade, é uma projeção do mundo em que vivemos hoje.

Um roteiro original como esse tinha que ganhar o Oscar e ganhou.

Spike disse que escreveu essa história influenciado por filmes do Woody Allen. E foi o próprio Woody Allen quem escreveu e dirigiu nossa próxima dica desse Listas: Homem Irracional.

Voltando a flertar com o drama de mistério depois do sucesso de Ponto Final: Match Point – curiosamente também estrelado pela Scarlett Johansson – Woody Allen, agora, conta a história de Abe. O personagem de Joaquin Phoenix é o novo professor de filosofia da universidade de uma pequena cidade.

Vários boatos dão a Abe uma fama de excêntrico que atiça o interesse de Rita, uma mulher casada vivida por Parker Posey e desperta a curiosidade da aluna Jill, interpretada por Emma Stone.

Abe é um alcoólatra que atravessa uma crise existencial. Ele sofre de uma depressão que o deixou impotente. Ex-ativista, Abe se revolta com a história que ouve num restaurante. A da mãe que tenta conseguir a guarda dos filhos e é brecada por um juíz corrupto.

O professor decide que é hora de agir e parte pra execução de um plano de vingança sem pé nem cabeça.

E é justamente esse suposto ato de solidariedade que vai trazer à tona um lado sombrio de sua personalidade. Mas como é um filme de Wood Allen, a graça está no detalhe de Abe fazer tudo baseado em teorias de grandes filósofos.

E o terceiro item desse Listas com três ótimas performances de Joaquin Phoenix é Você Nunca Esteve Realmente Aqui.

A trama acompanha a jornada de Joe, veterano de guerra vítima de estresse pós-traumático. Ele ganha a vida como assassino de aluguel. Seu novo caso é resgatar a filha de um senador, sequestrada e mantida como escrava sexual pra pedófilos endinheirados.

Não dá pra saber quando o Joe de Joaquin Phoenix é mais perturbador: se nas cenas em que demonstra ternura ou nas horas em que faz a sua especialidade: ser violento e perigoso.

Você Nunca Esteve Realmente Aqui tem direção de Lynne Ramsay, a mesma de outro assombro em forma de filme: Precisamos Falar sobre o Kevin.

Lynne mandou pra Joaquin um arquivo de áudio com sons de fogos de artifício mixados com o ruído de disparos de armas de fogo.

Tudo isso pra dar a ele a ideia do que se passa na cabeça de Joe.

Você Nunca Esteve Realmente Aqui foi aplaudido de pé durante sete minutos em Cannes.

O filme ganhou o prêmio de melhor roteiro e Joaquin Phoenix foi laureado como o Melhor Ator na edição de 2017 desse prestigiado festival francês de cinema. Pro Joaquin, o importante é quando não se consegue diferenciar o intérprete e o personagem. E acho que com esse Listas o Joaquim Phoenix já deu uma boa ideia do que ele queria dizer.

Ah! Mais uma última dica: todos esses filmes estão no Now.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui