É difícil imaginar que no “país do futebol” as mulheres foram proibidas de entrar em campo por mais de quatro décadas. Mas, foi isso o que aconteceu. Só em 1983, o futebol feminino foi regulamentado no Brasil e de lá para cá muita coisa ficou parada no tempo. Foi com esse pensamento, que as jogadoras Formiga, Tamires e Bia Zaneratto criaram o movimento #presasnos80, que busca aumentar a visibilidade da categoria no país em busca de mais visibilidade e investimento no esporte.

“Toda vez que entro em campo, é como se eu estivesse reafirmando o meu direito de jogar futebol, que só foi reconhecido na década de 80”, explica Formiga. “Sem a visibilidade que merece, o Futebol Feminino continuará preso nos anos 80. Precisamos apoiar a Seleção Brasileira, os Clubes e incentivar o esporte”, reforça.

Quando comparado ao futebol masculino, os dados revelam uma realidade que precisa ser mudada! “O recorde de público no estádio de um jogo do time feminino é de pouco mais de 28 mil pessoas. Mesmo na década de 80, o recorde de um jogo do time masculino foi de mais de 161 mil torcedores. Esse é apenas um exemplo que reforça que o futebol feminino ainda está preso nos anos 80”, conta Tamires.

Para dar força ao movimento e ajudar as jogadoras a fazerem barulho, insira a #presasnos80 e compartilhe a iniciativa. Acompanhe as atletas nas redes sociais @biazaneratto @tata_dias10 @oficial_formiga e fique por dentro das próximas ações.

Agência Made Rio traz dupla do exterior para liderar a Criação

Liderada pelos sócios Álvaro Rodrigues e Luís Claudio Salvestroni, a Made Rio reforça o seu DNA de criatividade com a chegada da dupla de brasileiros que atuava há três anos no exterior. André Bueno e Marcos Tanaka, ambos egressos da White Rabbit Budapest, na Hungria, vinham atuando como diretor de Criação Associado e diretor de arte sênior, respectivamente. Os criativos iniciam na Made Rio em agosto e ficam à frente da Criação.

“O André e o Tanaka são dois talentos que conquistaram contas e prêmios através da criatividade. Queremos produzir um trabalho de classe mundial na Made Rio. Para isso, queremos atrair profissionais de destaque do mundo inteiro para a agência”, conta Álvaro Rodrigues, sócio-fundador e CEO da Made Rio.

“Após uma jornada muito feliz de três anos em Budapeste, é uma honra sermos convidados pelo Álvaro e pelo Luís para fazer parte do sonho deles, a Made Rio. Especialmente em meio a um momento tão importante de definição criativa e cultural da agência”, afirma André Bueno. E completa: “Com humildade e muito trabalho, queremos ajudar a transformar a Made Rio no playground de todo criativo e no bilhete premiado de todo cliente.”

Redator por formação, André Bueno teve passagens pela Ogilvy Brasil, DAVID São Paulo, FutureBrand e TBWA Brasil. Já o diretor de arte Marcos Tanaka atuou, ao longo de sua carreira, em agências como Digitais Lbi, Razorfish e Publicis Brasil. Junta, a dupla já conquistou alguns dos mais importantes prêmios da indústria como D&AD, The One Show, Art Directores Club, Eurobest, Webby Awards, Lisbon, White Square, AdStars, Cresta, Épica, The Caples, Communication Arts, Golden Award of Montreux, Kyiv International Festival, Mobius Awards, Archives, além de finalistas no New York Festivals e no Clio Awards.

“Assim como o desafio proposto pelo Álvaro e pelo Luís para nós, quebrando o fluxo atual, voltaremos para o Brasil para juntos moldarmos uma agência no Rio de Janeiro. Tenho plena certeza que podemos fazer isso. Agora é trabalhar”, conclui Marcos Tanaka.

Para essa e outras histórias, siga meu Instagram @marketingeoutrashistorias

Renata Granchi é jornalista, publicitária com mestrado em psicologia. Passou pela TV Manchete, TV Globo, Record TV e TV Escola. Escreveu dois livros didáticos e atualmente presta consultoria em comunicação e marketing para empresas do trade, como o canal de TV Like, Dom Produções Criativas, Audima, entre outras.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui