KilarioAfroBaile Creditos IHateFlash

Neste sábado, a Kilariô Afro Baile faz sua 2º edição no circuito pequena-África, no centro do Rio.

A festa criada com o objetivo de dar visibilidade à cultura negra tem como tema a resistência e pretende contar a história invisibilizada dos verdadeiros responsáveis pela libertação dos escravizados no Brasil.
 
Como diz o samba da Mangueira, campeã do Carnaval de 2019: “não veio dos céus nem das mãos de Isabel, a liberdade…”, a libertação dos escravizados no Brasil não começa a existir somente com a Lei Áurea, sancionada em 13 de maio de 1888, mas sim bem antes com nomes como o advogado Luiz Gama, sua mãe Luiza Mahin e os e ex-escravizados Dandara e Zumbi dos Palmares.

A Kilariô decidiu celebrar os verdadeiros nomes da história num afro baile voltado para o empoderamento e fortalecimento da cultura negra, tocando o melhor do hip-hop, funk e black music. No line-up, os dj’s DJ Garota (AfroFunk), AfroLai com participação da Ebony, Gabriel dos Anjos – M$E, Anderson América e Joss Dee.
 
Wes Silva, idealizador do evento, explica que a Kilariô nasceu como uma ferramenta para dar visibilidade à cultura negra, unindo várias vertentes artísticas em um único evento, misturando shows, performances, dj’s, bandas, exposições de arte, gastronomia e artes visuais. Nesta edição, a noite fecha com dois pocket shows: o rapper Kbrum, que acabou de lançar seu EP VAPO e o cantor e compositor Anchietx, dono do hit “Sinta”.
 
O local ainda é segredo e será revelado nas redes sociais da Kilariô no sábado. Tudo que Wes adianta é que será em um local tão importante para a história afro-brasileira quanto o da última edição, em novembro do ano passado, na Pedra do Sal. A festa tem início às 21h e entrada gratuita.

SERVIÇO
Kilariô Afro Baile
15 de junho a partir das 21h
Centro – Local a ser divulgado no dia do evento
Entrada gratuita
Evento: https://www.facebook.com/events/431633240957552/

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui