Não há nenhum indício de tortura nos mortos no Complexo do Salgueiro, segundo a perícia

Não foram encontrados "indícios de facadas ou outro tipo de arma com ação cortante ou perfurocortante" nos corpos achados na favela.

Foto: Reprodução/TV Globo

Nesta semana, o Instituto Médico Legal emitiu os laudos de necropsia dos nove mortos na operação do BOPE no Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo. Os resultados científicos encontrados pelos especialistas apontaram que não há quaisquer sinais de tortura. Não foram encontrados “indícios de facadas ou outro tipo de arma com ação cortante ou perfurocortante” nos corpos achados na favela. Segundo a Polícia Civil, os projéteis arrecadados em três corpos ainda passarão por confronto balístico.

Em entrevista à TV Band, o Procurador de Justiça do RJ, Marcelo Rocha, falou sobre a controversa proibição de operações policiais durante a pandemia e do impacto desta curiosa decisão na criminalidade:

Essa proibição absurda de operações policiais com base numa decisão do Supremo, que não tem nenhum amparo na lei, tem fortalecido o crime organizado nas favelas do Rio. Essa decisão atrai criminosos dos outros estados, por saberem que podem contar com essa ‘proteção‘”, disse.

Questionado sobre a operação realizada no Complexo do Salgueiro, ele destacou que as vítimas tinham antecedentes criminais:

A polícia fez uma operação para reprimir o crime na região e um sargento da Polícia Militar foi assassinado pelos criminosos. Então, o BOPE foi acionado e houve um intenso confronto, resultando na morte dessas pessoas. Cinco deles tiveram antecedentes levantados, só criminoso de alta periculosidade“, afirmou, com veemência.

Marcelo Rocha citou ainda que, dentre os mortos, estava um perigoso traficante e assaltante do estado do Pará, ressaltando que se torna cada vez mais uma nefasta realidade a vinda de criminosos de outros estados para atuar no Rio, que, devido à decisão do Supremo, se tornou uma espécie de Disneylândia do crime.

3 COMENTÁRIOS

  1. Qual a credibilidade de uma perícia realizada por órgão do Estado (no caso, a Polícia Civil) sendo que é também daquele a unidade da Polícia Militar que efetuou a operação que teria vitimado os indivíduos (???)

    Aliás, não haver indícios de tortura não significa que não houve qualquer ilegalidade na operação.
    Nesse sentido veja que os corposeteriam sido todos encontrados amontoados uns sobre os outros e recolhidos um a um pelos moradores na manhã seguinte e colocados lado a lado naquela cena flagrada pelo helicóptero da Globo.

    Deixar os corpos para trás de modo que os moradores, no dia seguinte, os retirassem do local, logo, desfazendo a cena… Teria sido essa um intenção dos agentes (???)

    Se na operação houve disparos com pessoas atingidas, de duas uma. A Polícia imediatamente deveria preservar o local, na impossibilidade, recolher pelos próprios meios disponíveis prestando socorro.
    Estranho é todos morrerem ao mesmo tempo uns sobre os outros.

    • Vai lá vc preservar o local, meu caro, escreveu um monte de absurdos, geralmente culpam a polícia de desfazer a cena do crime, vc acha que os moradores não sabem que é proibido mexer nos corpos? Acha que todo mundo lá é criança? Desfizeram de propósito para dificultar a perícia, inventaram mentiras, tudo um circo armado, pra depois pedir indenização do Estado, pois traficante não paga indenização, eram todos bandidos, armados e camuflados, reagiram à chegada da polícia, vc queria o quê? Se os criminiosos não reagissem e se entregassem não teria confronto, ora bolas, vai lá vc com pombinhas brancas e buquês de margaridas pra ver se eles se entregam numa boa. Fácil falar, mas vc vive em condomínio fechado? Colcocou concertinas nos muros da sua casa? O carioca tá fazendo isso direto, o Rio parece um campo de concentração, por que será? È cada um que aparece. Não quer conficar na perícia, então vai confiar em quem? Em ONGs esquerdistas karacápipi, guaporéjacanga? Ondsó tem especialista de boteco do Leblon? Tudo isso é culpa do ativismo do Fachin, sinistro completamente descoldo da realidade, ele acredita nessas besteiras de ONGs e despreza dos números oficiais, tudo pra fazer politicagem barata, aparecer na mídia, juiz tem que ficar calado e não aparecer, juiz não tem que se intrometer no Executivo, cada macaco no seu galho, cada um tem a sua atribuição, chega de ativismo!!!!!

      • Falou um monte de merda você, como tantos que fazem um cursinho raso em segurança pública…
        Vários países do mundo tem crime organizado.
        Nos EUA há livre acesso às armas de grosso calibre tanto para bandidos tanto para o cidadão de bem.
        Argentina, França, Bélgica, Inglaterra etc. tem áreas que a Polícia não entra sem operação, nem por isso ocorre carnificina.
        Como vários estudiosos já comentaram, no Brasil há a Polícia Civil e a Federal que investigam.
        A Polícia Militar e o Bope que pertence àquela não podem atuar segundo vontade própria fora da linha de uma ação que tenha escopo a aplicação do Direito.
        Adentrar numa comunidade com propósito de “fazer justiça” à morte de um policial é crime de justiça com as próprias mãos e ainda ao agravante de serem agentes públicos da lei, atuarem como executores.
        Sobre não haver possibilidade de preservar o local, sabendo da ocorrência de mortes numa operação cumpria aos agentes comunicar à Polícia Civil para perícia – o que não foi feito, por óbvio, considerando tratar-se de operação ilegal.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui