Lava a jatos ilegais continuam furtando água e energia em Manguinhos

Moradores da região alegam que as operações do Poder Público são como enxugar gelo, porque após as fiscalizações os lavas-jatos voltam a aparecer

Mais de 10 lava-jatos clandestinos funcionavam no trecho da Rua Leopoldo Bulhões - Foto: Gabriel de Paiva / Agência O Globo

Desde novembro de 2021, a Prefeitura do Rio já fez, pelo menos, 10 operações contra lava a jatos clandestinos na Rua Leopoldo Bulhões, em Manguinhos, na Zona Norte. Na região já foram removidos 144 pontos de furto de energia e 157 pontos de furto de água.

Os motoristas alegam que essas operações são como enxugar gelo, pois dias depois das fiscalizações os lava a jatos voltam a aparecer.

“Para quem passa rotineiramente ali, a gente vê que realmente não tem saída. A gente já viu não sei quantas ações do poder público chegando ali, tirando o pessoal, orientando. Poucos dias depois, eles retornam. Não existe fiscalização, e aí permanecem a insegurança e o caos”, conta um motorista ao G1.

Outro motorista e morador da região disse que tiram até o asfalto da rua para conseguirem ter acesso a água roubada. “É água jorrando o tempo todo. Depredam patrimônio público, que nós pagamos, quebrando calçada, para atingir os encanamentos. Cortam até asfalto para tirar água dali”, afirma.

Breno Carvenale, secretário de Ordem Pública, afirma que, infelizmente, ainda tem muito trabalho pela frente para acabar com a irregularidade. “É verdade que ainda temos muito a avançar, mas já constatamos uma melhora, uma diminuição no número de irregularidades naquela região”, disse o secretário.

A Subprefeitura da Zona Norte disse, ao G1, que na última ação feita na região foram oferecidos cursos vinculados a oportunidades de primeiro emprego para jovens que trabalhavam nos lava-jatos. Mas ninguém se inscreveu.

Já a Polícia Civil informou que faz ações contra lava-jatos irregulares na região e que investigações sobre a atuação de criminosos na região em andamento.

Advertisement

5 COMENTÁRIOS

  1. Julio, me perdoe, mas, como foi explicitado na matéria, foram oferecidos cursos de qualificação profissional e NÃO HOUVE INSCRITOS. A verdade é que eles querem ganhar fácil, sem investir em estudo e/ou sem ter que investir em mercadorias para vender como muitos fazem nos sinais do RJ.

    Luis Carlos, não é tão fácil assim, pois a extensão da via é longa e precisaria de muitos guardas para multar, sem contar que os lava a jatos são parte do brqço do tráfico que cobra um “aluguel” dos meninos nos pontos.

    A solução não passa pelo poder público. Passo por ali várias vezes e muitas delas vejo vtrs da própria PMERJ e da GM sendo lavadas pelos meninos, justamente quem deveria coibir essa prática. Infelizmente a solução terá que vir como foi na Mangueira, onde o líder do tráfico PROIBIU os lava a jatos e “coincidentemente” no dia seguinte (e até hoje) não havia unzinho sequer para contar história. QUEM TEM C… TEM MEDO!!!

  2. Só multar os carros que pararem ali, fácil, fácil, o resto é demagogia, ah, coitados não tem emprego!!, então tá!! deixa o circo pegar fogo.

  3. De todos os muitos problemas da cidade esse talvez seja um dos mais fáceis de resolver, basta multar todo e qualquer motorista q parar no local, afinal estão estacionados em local indevido.

  4. Isso só vai acabar quando essa galera tiver alguma outra alternativa de subsistência. Enquanto isso, precisam se alimentar, preferencialmente sem roubar ou com uso de violência.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui