Visitar a França é garantir experiências riquíssimas, qualquer que seja a região escolhida. Embora os roteiros tradicionais sejam os mais procurados, o país ainda tem cantinhos que surpreendem. Les Baux é um deles. Nesta cidadezinha, ao sul do país, na região da Provence, é possível mergulhar num cenário digno dos contos de fadas e entrar no túnel do tempo, de volta à Idade Média.

Quem gosta de experiências do passado é uma das melhores escolhas de destino, pois os passeios são feitos entre ruas estreitas, grutas, ruínas e o impressionante castelo da época do Feudalismo, com uma bela vista para as plantações de oliveiras. A aldeia mantém um estilo de vida que parece ter parado no tempo. Os menos de 500 habitantes têm no turismo e no comércio a sua principal fonte de renda.

Lex Baux foi uma das famílias mais poderosas da região da Provence e suas construções eram fortalezas impenetráveis. Após o fim da linhagem, em 1483, Luís 11 ordenou a demolição do feudo e anexou a região à França.

Além do vínculo histórico, a vila é famosa pelo seu relevo rico em bauxita e calcário. A formação rochosa de tonalidade avermelhada começou a ser explorada em 1821. A mina de extração ficou abandonada muitos anos, somente em 1959 foi usada por um cineasta francês para ambientar uma de suas obras. A partir daí, a cidade despertou o interesse para outros projetos e virou inspiração para a arte.

Na década de 1970 passou a ser palco das Carrières de Lumières, show que reúne luzes, música e obras dos maiores artistas mundiais, do renascimento à modernidade, projetadas nas paredes gigantescas, no chão e no teto. O espetáculo envolve os visitantes com muita emoção, proporcionando uma experiência impactante.

Nesta temporada de 2017, que se iniciou em 4 de março e se estende até janeiro de 2018, o espetáculo contará com os universos fascinantes dos renascentistas Hieronymus Bosch e Pieter Bruegel, ambos dos Países Baixos e do pintor italiano Giuseppe Arcimboldo, reconhecido por usar elementos da natureza na composição de figuras humanas.

As sinfonias escolhidas para o repertório do espetáculo 2017 são “Carmina Burana” obra de Carl Orff, compositor clássico da Alemanhaha; “As Quatro Estações”, do italiano Antonio Vivaldi revisitada pelo músico alemão Max Richter, composição do russo Mussorgsky e, novamente, o rock progressivo da banda inglesa Led Zeppelin.

1 COMENTÁRIO

  1. Les Baux-de-Provence é o meu vilarejo preferido na região. Amo a Carrières e já tive a chance de ver espetáculos diferentes lá. Fiz a comparação entre a Carrières e o Atelier de Lumières em Paris em http://meusdestinosimperdiveis.com.br/o-que-fazer-em-les-baux-de-provence/ . Uma dica é que Les Baux é excelente para comprar toalhas de mesa, azeites de olive e chocolates! Sem falar do Castelo, que tem habitação troglodita e exposição de catapultas!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui