Linhas de ônibus do Rio acumulam sérios problemas

Linha 277 teve funcionamento afetado devido à pandemia - Foto: Carlos Bernardes/Ônibus Brasil

As linhas de ônibus do Rio continuam sendo motivo de reclamação por parte dos passageiros. Com a pandemia, os problemas dos coletivos, que já eram frequentes, ficaram ainda mais evidentes, tanto em relação a qualidade do serviço, como a quantidade de veículos disponibilizados na cidade.  

De acordo com dados divulgados pelo jornal Extra, a Rio Ônibus informou que até 2016, eram comprados 1.250 ônibus novos por ano. Já em 2017, 2018 e 2019 a quantidade teria diminuído para uma média de 600 coletivos. Nos últimos 12 meses a diminuição teria sido ainda maior, sendo adquiridos apenas 236 veículos para o período.

A matéria do jornal também divulgou que a Secretaria Municipal de Transportes, SMTR, confirmou que em 2020 foi colocado 80% a menos de veículos em comparação ano passado. Este ano, foram adquiridos somente 95 coletivos, enquanto ano passado o número foi de 497, sendo que os ônibus novos que foram para as ruas a partir de março já tinham sido comprados antes da pandemia.

Para atender aos passageiros e buscar maior eficácia na fiscalização dos coletivos, o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, MPRJ, lançou em agosto/2020 um serviço de denúncias, conforme divulgado pelo DIÁRIO DO RIO. As reclamações podem ser feitas pelo site consumidor vencedor.

O Serviço implementado pelo MPTJ disponibiliza as linhas já são alvo de ações do. A última denúncia constante no site é relativa a linha 2336 da empresa Expresso Pégaso Ltda e Consórcio Santa Cruz de Transportes (Campo Grande x Castelo) publicada em 09/10/2020. Em consulta ao site do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, TJRJ, é possível verificar que entre os principais pedidos da ação judicial estão: operar ou substituir veículos em perfeito estado de conservação e condenação da empresa em danos morais coletivos no valor de R$ 500.000,00 (quinhentos mil reais).

O canal de denúncias do MPRJ também elaborou uma lista das 20 empresas mais acionadas no últimos anos. Duas empresas de ônibus figuram nesta relação. O Consórcio Santa Cruz, com 40 ações e o Consórcio Internorte com 22 ações.

FONTEExtra
Costa do mar, do Rio, Carioca, da Zona Sul à Oeste, litorânea e pisciana. Como peixe nos meandros da cidade, circulante, aspirante à justiça - advogada, engajada, jornalista aspirante. Do tantã das avenidas, dos blocos de carnaval à força de transformação da política acreditando na informação como salvaguarda de um novo tempo: sonhadora ansiosa por fazer-valer!
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui