O governador em exercício do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PSC) seguiu a tradição e escolheu, nesta quarta – feira (6) o nome mais votado na lista-tríplice eleita pelo Ministério Público Estado do Rio de Janeiro (MPRJ): Luciano Oliveira Mattos de Souza, que sucede Eduardo Gussem.

Cláudio Castro recebeu a lista tríplice, na última segunda-feira (4) das mãos do subprocurador-geral de Justiça de Relações Institucionais e Defesa de Prerrogativas, Marfan Martins Vieira, para avaliação.

Em postagem em sua rede social, o governador em exercício anunciou a escolha de Luciano Mattos e desejou que ele tenha “sucesso na missão”.

A lista tríplice

No dia 11 de dezembro foi realizada de forma semi – presencial a eleição para procurador-geral para o biênio 2021/2023. Luciano Mattos recebeu 546 votos – 31,92% do total de votos; a procuradora de Justiça Leila Machado Costa, por sua vez, obteve 501 votos – 29.29% dos votos computados e. com 427 votos ou 24,97% do total de votos, ficou o promotor de Justiça Virgilio Panagiotis Stavridis, ocupando a terceira posição. Na segunda – feira (4), a lista com três nomes foi enviada pelo presidente do Órgão Especial do Colégio de Procuradores de Justiça, Marfan Martins Vieira, ao governador em exercício, Cláudio Castro.

O novo procurador-geral de Justiça, Luciano Mattos, tomará posse no dia 15 em sessão solene do Órgão Especial do Colégio de Procuradores de Justiça.

Quem é Luciano Mattos

Casado e pai de dois filhos, Luciano Mattos é natural de Niterói e há 25 anos atua no Ministério Público do Rio (MPRJ), tendo exercido atividade profissional em várias cidades do estado. Na Região dos Lagos, foi coordenador-geral do MPRJ.

No Rio, Mattos atuou na Central de Inquéritos, na área de investigação criminal e na coordenação das promotorias de Tutela Coletiva da capital e de Niterói. Presidiu, por três mandatos, a Associação do Ministério Público (AMPERJ).

O novo chefe do MPRJ foi ainda titular nas promotorias de Justiça de São João da Barra, Cabo Frio, na Central de Inquéritos, até assumir a Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de Defesa do Meio Ambiente de Niterói.

1 COMENTÁRIO

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui