Divulgação

O ator paulistano Luciano Szafir, que está internado no Hospital Samaritano, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, desde o dia 22/06, para tratar uma reinfecção por Covid-19, teve o seu quadro de saúde agravado. O ator foi submetido a uma cirurgia abdominal, nesta quarta-feira (7/07), por complicações ensejadas pela doença. Szafir encontra-se internado no Centro de Terapia Intensiva (CTI) do Samaritano, e estaria entubado.

Segundo a equipe médica que atende Szafir, de 52 anos, a intervenção cirúrgica foi necessária para retirar um acúmulo de sangue na região abdominal e um segmento do cólon, que é uma parte do intestino grosso. “O paciente Luciano Szafir passou por uma cirurgia de retirada de hematoma e segmento do cólon no Hospital Samaritano Barra. Szafir segue sedado no pós-operatório“, informou o boletim médico divulgado pela assessoria de imprensa do ator. O ex de Xuxa teve de receber transfusões de sangue.

Luciano Szafir testou positivo para a Covid-19 pela primeira vez no ano passado, quando apresentou sintomas leves. Há pouco mais de 2 semanas, o ator começou a se sentir mal após cumprir uma agenda de trabalho no estado da Bahia. Ao realizar o teste para a enfermidade, teve como resultado falso negativo. Ao retornar ao Rio de Janeiro, no entanto, o pai de Sasha Meneghel (filha de Xuxa), começou a sentir fadiga, febre e dor de cabeça e, ao realizar novo exame, foi confirmado positivo para a doença.

Szafir começou logo um tratamento em casa, e, em 22 de junho, conseguiu uma vaga em um quarto do Hospital Samaritano Barra para se internar e ter um tratamento mais adequado contra a doença. Luciano Szafir ainda não se vacinou, pois, até o momento em que apresentou os primeiros sintomas da doença, a campanha de vacinação não havia chegado em sua faixa etária.

Szafir e sua família são os astros de um novo Reality Show, “Os Szafirs“, uma espécie de “The Kardashians” brasileiro, retratando o dia-a-dia da família. A estrela é sua mãe, Beth. O programa passa no canal E!, de televisão a cabo.

7 COMENTÁRIOS

  1. Peço desculpas pelos erros de digitação ocorridos acima, mas o site não me permitiu as correções necessárias…
    Gentesssxxx!… Com todo o respeito, Danico – adorei a sua observação, a qual eu acho muito válida – mas, com todo o respeito referente à sua colocação, me permito sair em defesa do Luciano Szafir, que é muito amigo meu e colega de profissão, de longos carnavais, atestando que ele sempre foi uma pessoa coesa e muito cautelosa, porém, como todo o artista, inclusive eu, durante essa reclusão forçada, estivemos impossibilitados de exercer as nossas atividades profissionais. Sabemos, perfeitamente, que a pandemia ainda não acabou, porém, os compromissos financeiros – acumuladas em detrimento dessa interminável ocorrência – igualmente não terminaram. E assim, reitero que, a politização da doença nos direciona à uma descrença total devido à essa estampada geopolítica entre a direita x esquerda e vice versa, que nos traz como resultado as visitas dessas novas terríveis variantes (Delta, Delta Plus. Andina e etc…), que encontram, em especial, uma porta de entrada nos cidadãos que ainda não puderam ser vacinados, no caso, à camada mais jovem, como o próprio Luciano Szafir. Portanto, eu tenho a certeza que ele, Luciano, tenha tomado todos os cuidados possíveis, mas acredito também que, deveria estar com a sua imunidade baixa, o que, em minha opinião de leigo, possa ter ocasionado a sua reinfecção. Pode parecer “viagem” de minha parte, mas noutros países, esse mal ainda está sendo considerado um perigo presente, e até aonde eu saiba, não ouço falar sobre corrupções, superfaturamentos e outros escândalos tupiniquins, que o mundo todo vem acompanhando para a vergonha nossa de cada dia, o que é extremamente lamentável!

    • Caro THEO G FOX, eu entendo perfeitamente.
      Na verdade, nem teci comentário dirigindo a ele. Embora aproveitando a notícia pudesse levar a crer.
      Ele parece, sim, uma pessoa bem séria e cautelosa. Não tem perfil dos inconsequentes. Meu comentário é mais adequado para outros.
      Mas é aquilo que comentei depois – em outra resposta à sua no meu outro comentário.

      Estimo muito as melhoras do Luciano Szafir, que admiro desde seus relógios

  2. Gentesssxxx!… Com todo o respeito, Danico – adorei a sua observação, a qual eu acho muito válida – mas, com todo o respeito referente à sua colocação, me permito sair em defesa do Luciano Szafir, que é muito amigo meu e colega de profissão, de longos carnavais, atestando que ele sempre foi uma pessoa coesa e muito cautelosa, porém, como todo o artista, inclusive eu, durante essa reclusão forçada, estivemos impossibilitados de exercer as nossas atividades profissionais. Sabemos, perfeitamente, que a pandemia ainda não acabou, porém, os compromissos financeiros – acumuladas em detrimento dessa interminável ocorrência – igualmente não terminaram. E assim, reitero que, a politização da doença nos direciona à uma descrença total devido à essa estampada geopolítica entre a direita x esquerda e vice versa, que nos traz como resultado as visitas dessas novas terríveis variantes (Delta, Delta Plus. Andina e etc…), que encontram, em especial, uma porta de entrada nos cidadãos que ainda não puderam ser vacinados, no caso, à camada mais jovem, como o próprio Luciano Szafir. Portanto, eu tenho a certeza que ele, Luciano, tenha tomado todos os cuidados possíveis, mas acredito também que, deveria estar com a sua imunidade baixa, o que, em minha opinião de leigo, possa ter ocasionado a sua reinfecção. Pode parecer “viagem” de minha parte, mas noutros países, esse mal ainda está sendo considerado um perigo presente, e até aonde eu saiba, não ouço falar sobre corrupções, superfaturamentos e outros escândalos tupiniquins, que o mundo todo vem acompanhando para a vergonha nossa de cada dia, o que é extremamente lamentável!
    Ps: Me perdoe os erros de digitação em meu comentário anterior, que já foram corrigidos nesta.

  3. Pois é, Gentesssxxx!… Mesmo que seja á trabalho, a pandemia ainda não acabou. O problema é a politização da doença, que culmina em uma descrença total por parte de todos, sem exceções, que diante dessa geopolítica – direita x esquerda e vice versa – tem como resultado a visitas dessas novas variantes, que encontram – especialmente – nos cidadãos que ainda não puderam ser vacinados, ou seja, a camada mais jovem. Noutros países, esse mal está sendo considerado ainda, e até aonde eu saiba, não existe corrupção, superfaturamento e outros que, o mundo todo vêm acompanhando para a vergonha nossa de cada dia!

  4. Ninguém está abordando. Mas a variante Delta tem sintomas bem diferentes. Agora descobriram a Delta Plus. Na Ásia. Salvo engano, Cingapura. No Chile, outra variante, Andina. E o pessoal daqui viajando…

    • Pois é, Gentesssxxx!… Mesmo que seja á trabalho, a pandemia ainda não acabou. O problema é a politização da doença, que culmina em uma descrença total por parte de todos, sem exceções, que diante dessa geopolítica – direita x esquerda e vice versa – tem como resultado a visitas dessas novas variantes, que encontram – especialmente – nos cidadãos que ainda não puderam ser vacinados, ou seja, a camada mais jovem. Noutros países, esse mal está sendo considerado ainda, e até aonde eu saiba, não existe corrupção, superfaturamento e outros que, o mundo todo vêm acompanhando para a vergonha nossa de cada dia!

      • Sim, tem a necessidade do trabalho.
        Mas se todos estivessem de máscara e seguindo alguns protocolos… Inclusive aquelas pessoas que já se vacinaram. Pois tem quem não vacinou. E a vacina é uma proteção do indivíduo quanto à gravidade e consequências fatais. Logo, quanto menos essa praga se alastrar menos rápido o surgimento de variantes.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui