Mais de 75% dos cariocas não fazem acompanhamento psicológico ou psiquiátrico, segundo Instituto Rio21

Dentre os entrevistados pela pesquisa, um percentual relativamente alto possui plano de saúde atualmente e já tinha antes de 2022 - somando 68,3%

Pedestres atravessam a rua no Centro do Rio • Foto: Rafa Pereira, Diário do Rio

Texto de: Ana Flávia Assumpção (Diretora da Pesquisa) e Felipe Lamarca (Assistente de Pesquisa)

A segunda edição da pesquisa do Setembro Amarelo, realizada pelo Instituto Rio21 em parceria com o Diário do Rio, levantou várias informações relevantes sobre como anda a saúde mental da população carioca. Dessa vez, trazemos alguns dados sobre planos de saúde e acompanhamentos psicológico e psiquiátrico.

Dentre os entrevistados pela pesquisa, um percentual relativamente alto possui plano de saúde atualmente e já tinha antes de 2022 – somando 68,3%. O número é praticamente idêntico ao da edição anterior da pesquisa (2021), quando 69% dos respondentes tinham plano de saúde e já tinham antes da pandemia.

Um fato interessante é que, apesar de terem plano de saúde, um número baixo de cariocas faz acompanhamento psicológico: apenas 23% dos entrevistados. Além disso, observamos uma queda em relação à pesquisa anterior, quando 28,9% dos respondentes afirmaram que faziam esse tipo de acompanhamento.

Em 2022, entre os que responderam que faziam acompanhamento psicológico com alguma frequência, apenas 4% utilizam a rede pública de saúde. A maioria é acompanhada por profissionais particulares.

No caso do acompanhamento psiquiátrico, a porcentagem é ainda menor: só 17,2% dos cariocas são acompanhados por psiquiatras em 2022 – uma queda de 2,4% em relação à última edição da pesquisa.

Nesse caso, um percentual um pouco maior faz acompanhamento pela rede pública (6,9%), mas a maioria ainda é acompanhada por profissionais da rede particular (48,3%).

Os dados mostram que a maior parte dos cariocas não faz acompanhamento psicológico ou psiquiátrico e, inclusive, que uma parcela da população da cidade deixou de realizar esse tipo de acompanhamento entre as duas edições da pesquisa.

De fato, comparada à pesquisa de 2021, mais cariocas avaliam a própria saúde mental como muito boa ou boa em 2022, o que pode ajudar a justificar essa menor procura por acompanhamento profissional.

Confira mais dados sobre essa pesquisa: https://diariodorio.com/saude-mental-dos-cariocas-melhorou-em-relacao-ao-ano-de-2021-segundo-levantamento-do-instituto-rio21/

Outros resultados dessa pesquisa serão divulgados ao longo dos próximos dias.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui