Foto: Reprodução

Com os números da Covid-19 caindo em função do avanço da vacinação em toda cidade, o Hospital Ronaldo Gazolla, voltado exclusivamente para o tratamento de pacientes com Covid, irá reabrir para outras doenças. Atualmente, 94% dos internados com Coronavírus no centro médico não tomaram a vacina.

No total, dos 218 pacientes internados atualmente, 206 não tomaram nenhuma dose da vacina, ou seja, 94% das pessoas internadas com o vírus não foram imunizadas. Apenas 12 foram vacinados.

Hoje é um dia de agradecimento. Hoje temos 70% da nossa população adulta com as duas doses. A gente avança nossa dose de reforço, e podemos transformar nossos leitos em uma nova missão que é cuidar da saúde das pessoas. Nos últimos dois anos as pessoas ficaram muito descuidadas para fazer uma cirurgia eletiva, um tratamento acompanhado, como o de câncer“, pontuou Daniel Soranz.

Em 2021, o Ronaldo Gazolla admitiu 8.684 pacientes. Em um dos picos da pandemia, em janeiro, a unidade chegou a ter 407 leitos ocupados ao mesmo tempo – eram 420 disponíveis. Atualmente, toda a rede SUS do município do Rio tem 412 pessoas internadas por covid-19 – quase a mesma quantidade do que o Ronaldo Gazolla recebeu.

O Complexo hospitalar estava desde março de 2020 como uma unidade de tratamento exclusivo à Covid-19. Durante a gestão do ex-prefeito Marcelo Crivella, até o fim do ano passado, o local dividiu a tarefa de receber e isolar os pacientes junto com os hospitais de campanha, como o do Riocentro, desmontados ao longo do ano passado e deste ano.

Segundo o secretário, os equipamentos, materiais e suprimentos utilizados para a internação de pacientes com covid-19 serão aproveitados em outros setores.

“Todo o legado de material, suprimentos, Recursos Humanos, vai se manter. A gente mantém o Gazolla como o maior CTI do estado do Rio de Janeiro, mantém os 420 leitos funcionando. E a gente retoma com mais força o nosso ambulatório“, afirmou Soranz.

Dois centros cirúrgicos serão abertos no terceiro andar. No local serão administrados os setores de cirurgias eletivas e de baixa complexidade. Leitos de CTI e enfermaria para outras doenças também serão abertos.

4 COMENTÁRIOS

  1. Sabemos na prática e os funcionários também sabem que a maioria dos internados estão completamente vacinados e não iniciaram tratamento precoce. A notícia parece não condizer com a realidade.

    • Eles não informarão o que não lhes convém. Vivemos uma PANDEMIA da desinformação onde a ciência é tão vítima como nós… Pretexto para tirania e lobby por vacina experimental até agora de ineficácia comprovada.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui