Foto: Anna Roberto Mehdi

Localizado entre a Ponta do Pai Vitório e a Praia da Gorda se encontra o Mangue de Pedra de Búzios, na Região dos Lagos do RJ. Trata-se de um ecossistema raro. Além desse no Rio de Janeiro só existem mais dois mangues de pedra no mundo. A fauna deste tipo de manguezal, de acordo com estudiosos, abriga em torno de duas mil espécies, entre animais e vegetais.

“Este tipo de bioma é abastecido por lençóis de água doce, provenientes do subsolo e da chuva. Sem rios para abastecê-lo a água doce do mangue flui pelos cascalhos, areias e lamas das encostas e surge na praia misturando-se com a água salgada do mar. Esta mistura produz a salobra, condicionante para a existência deste tipo de ecossistema”, explica o pesquisador Matheus Carvalho.

O raríssimo ecossistema atrai pesquisadores do mundo todo. “A região tem uma vegetação rara de ser encontrada em uma área como uma praia, como plantas típicas de manguezal. Os mangues são berçários naturais de várias espécies. Por isso são de extrema importância”, detalha o ambientalista Marcelo Freitas.

Contudo, esse bioma corre risco. A construção de casas próximas às praias, após o desmatamento da região, e a perfuração de poços artesianos para coletar água prejudicam o ecossistema. Parte da população local cobra da Prefeitura a criação de uma unidade de conservação, com regras rígidas para impedir as construções.

A Prefeitura de Búzios, por meio da Secretaria de Turismo, Cultura e Patrimônio Histórico, informou que busca incentivar a preservação e a pesquisa geológica no local, promovendo o patrimônio de riqueza natural e cultural, inigualável da cidade.

No último dia 14/09, a Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (CMAD) da Câmara dos Deputados votou pelo arquivamento do Projeto de Lei nº 5.086/20, que insere as resoluções nº 302 e 303 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) no texto do Código Florestal. As resoluções estabelecem os critérios para implementação das Áreas de Preservação Permanente, as APPs, como restingas e manguezais.

De autoria do deputado federal Nilto Tatto (PT-SP), o projeto foi apresentado depois da polêmica sessão do Conama que revogou as duas resoluções e, com isso, vulnerabilizou a proteção dessas áreas. A decisão foi revertida no Supremo Tribunal Federal no final de novembro do ano passado e, com isso, as normas voltaram a valer. De acordo com o novo Código Florestal, Lei 12.651, de 25 de maio de 2012, todos os manguezais são áreas públicas de preservação permanente.

4 COMENTÁRIOS

  1. Muito bom ler uma matéria sobre o Mangue de Pedras, e sua importância, ajudando na divulgação desse belo lugar. A Foto, se puder adicionar, tem como crédito Anna Roberto Mehdi, disponibilizada na rede facebook do Mangue de Pedras Buzios.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui