Foto: Fabio Motta

A 32ª edição do Boletim Epidemiológico da Covid-19, divulgada nesta sexta-feira (13/08), mostrou que os casos da doença aumentaram no município do Rio nas últimas cinco semanas. Esse efeito pode ser causado pela circulação da variante Delta, que, como estudos apontam, tem maior transmissibilidade. Em contraponto, os índices de hospitalizações e de óbitos mantêm a tendência de queda, o que pode ser relacionado como reflexo da imunização.

O dado positivo é que esse grande aumento do número de casos não está se observando nos casos graves e de óbitos, e isso se deve à vacina. Portanto, reforçamos para que a população tenha atenção porque, se a gente não tomar cuidado, a média de mortes pode subir nas próximas semanas“, disse o prefeito do Rio, Eduardo Paes.

Por causa da disseminação da variante Delta e do aumento do número de casos notificados, o boletim aponta ainda o mapa de risco da cidade para Covid-19 retornando ao estágio de atenção. Todas as 33 regiões administrativas (RAs) do município estão classificadas como risco alto (laranja) para transmissão do coronavírus.

Estamos em pleno inverno, temos uma nova variante na cidade e a pandemia ainda não acabou. É muito importante que as pessoas respeitem as medidas restritivas, que utilizem máscaras e evitem qualquer tipo de exposição desnecessária. É um momento muito preocupante porque os meses de inverno já têm um aumento no número de casos de gripe. Somado a uma nova variante, isso faz a gente entrar num nível de alerta muito grande“, explicou o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz.

Na última semana, 19 novos casos de diferentes variantes do vírus foram identificados na cidade, sendo cinco moradores locais e os demais pacientes que foram atendidos na cidade, mas moram em outros municípios. Desde a identificação do primeiro caso de novas variantes, o município contabiliza 1.152, sendo 935 residentes. Entre os que moram na cidade, 852 casos da Gamma (P.1), 70 da Delta (B.1 617.2) e 13 da Alfa (B.1.1.7). Dos moradores infectados por essas cepas, 52 faleceram, 16 permanecem internados e 867 já são considerados curados.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui