Marcos Uchôa desiste de candidatura e detona Molon

O PSB-RJ vem sofrendo na mão de Molon desde que ele bateu o pé para ser candidato ao Senado, voltando atrás em um acordo feito com o PT

Reprodução Redes Sociais

O ex-repórter da Tv Globo, Marcos Uchôa era um dos favoritos do PSB a se eleger deputado federal, inclusive seu nome constava da lista do DIÁRIO DO RIO de favoritos a se elegerem deputado federal no Rio de Janeiro em 2022. Bem fazia até esta terça-feira fria, 30/8, já que ele retirou sua candidatura soltando cobras e lagartos, especial para cima do presidente estadual de seu partido e candidato a senador, Alessandro Molon.

No vídeo postado em suas redes sociais, Uchôa reclama da falta de organização do PSB e das promessas não cumpridas por Molon, especialmente de acesso ao fundo partidário. Disse o jornalista: “Sempre fui sério em tudo o que faço. Não acredito em trabalho que não seja bem feito.” “Me filiei em abril. O presidente do partido no Rio, Alessandro Molon, me disse que o partido financiaria a campanha. Chegamos ao final de agosto e a informação (sobre repasses) não foi dada. Falta praticamente um mês para a eleição. É muito pouco tempo. A pré-campanha e a campanha já começaram há muito tempo. Me senti empurrando um carro. E carro não é para isso. Aí pensei: “Isso não é sério.” Por isso tô retirando a minha candidatura”.

Uchôa, que seria um dos puxadores de voto, não deve ser o único a desistir da empreitada. Muitos estão reclamando da desorganização do partido, em especial de Molon, até problema no número que cada um teria para a eleição de 2022 houve. Até agora ninguém sabe quanto cada um terá do fundo partidário, o que fica impossível fazer uma campanha digna.

O partido que tem o 2º lugar nas pesquisas, Marcelo Freixo, vem sofrendo na mão de Alessandro Molon desde que ele bateu o pé para ser candidato ao Senado, voltando atrás em um acordo feito com o PT, que lançou André Ceciliano. A Direção Nacional, inclusive, disse que não deixaria Molon usar o fundo eleitoral para sua candidatura e, talvez, seja isso que esteja afetando os candidatos do partido.

O diretório estadual do PSB alegou ao site Carta Capital que recebeu o repasse apenas na última quinta-feira, 25/8, R$ 4 milhões, para a campanha dos candidatos a deputados estaduais e federais, e que só decidiu como faria os repasses na segunda-feira, 29/8. O depósito seria feito ao longo dos próximos 3 dias. Mas há de estranhar que logo Uchôa não tenha sido informado disso..

Posicionamento PSB/RJ

Na última quinta-feira, dia 25 de agosto, o PSB-RJ recebeu a transferência de R$ 4 milhões para o financiamento de campanhas de candidatos a deputado federal e estadual. Na manhã do dia seguinte, sexta-feira, dia 26 de agosto, em reunião da Executiva Estadual do PSB-RJ, foram estabelecidos os critérios para a distribuição destes recursos. Esta decisão foi publicada no site do partido no mesmo dia (confira aqui: https://psbrio.org/resolucao-no4-dacomissao-executiva/).

Na segunda-feira, dia 29 de agosto, o Grupo de Trabalho Eleitoral criado pela Executiva Estadual para definir, com base nos critérios pré-estabelecidos pela mesma Executiva, os valores que cada candidatura receberia, se reuniu e decidiu tais valores. A partir desta terça-feira, dia 30 de agosto, os recursos passaram a ser depositados nas contas das candidaturas. Os repasses serão feitos ao longo dos próximos três dias, inclusive hoje, respeitando os limites bancários diários para transações financeiras.

Apenas ontem, portanto, se chegou ao valor certo que poderia ser garantido para cada candidatura a deputado federal e estadual. Por essa razão, não foi possível antecipar qualquer estimativa previamente. Por fim, os mesmos critérios estabelecidos na distribuição de recursos financeiros serão aplicados na distribuição do tempo de tv e rádio, cujos programas já foram custeados pelo PSB-RJ.

Advertisement

9 COMENTÁRIOS

  1. O Jornalista Marcos Uchôa veio para jogar gasolina no fogo. É aquela figura que detona o PSB e o candidato ao Senado na véspera de uma eleição, é o que me faz lembrar o Mano Brown quando fez crítica as lideranças do PT, e do então, presidenciável Fernando Haddad no Capão Redondo. E deu no que deu. A Globo adora e o Romário agradece.

    • Concordo plenamente, quem é Marcos Uchôa (demitido da Globo), para ficar chateado com o partido!
      Quanto a ter detonado o Molon (um dos poucos bons deputados), parece ser coisa deste jornal tendencioso, para afetar a campanha do Freixo.

  2. Turma da esquerda desesperada mesmo. Ex-Globo como puxador de voto, a tucanada se lambuzando de vermelho pra parecer arara. O que ainda falta pra compor essa zona?

  3. Eu vou copiar mais ou menos a fala do Felippe Hermes, no Twitter: o cara aí não consegue convencer pessoas a trabalhar na causa dele, mas se sente à vontade para decidir ser deputado para então definir e impactar a vida de outras pessoas.

    Como não consegue mobilizar nada e nem ninguém, chora publicamente. O Molon não tem nada a ver com essa low energy do ex-candidato. Eu só festejo: porque estes dois estarão fora da política por pelo menos 2 anos. Num grande abraço dos afogados.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui