Foto de Kat Jayne no Pexels

Bolsonaro escreve: “CPF Cancelado!”

Nem Lula, nem Ciro Gomes, nem Guilherme Boulos, nem Marcelo Freixo, ninguém do PT ou PSOL ou da esquerda brasileira até agora comemorou, ou pelo menos citou, a prisão, e depois morte, do criminoso Lázaro Barbosa, pela Polícia Militar de Goiás, na manhã desta segunda-feira (28). A omissão na questão da criminalização, e não vitimização do criminoso, é o ponto central da aversão do eleitorado  a socialistas, comunistas e supostos progressistas. Falta a eles um equilíbrio no conceito do tema. Ao longo de nosso recente período democrático, a nossa esquerda trilha um caminho controverso: condena a polícia veementemente em relação a todas as suas ações e faz bandido de anjo, com argumentos, discutíveis, de vazio de oportunidades.

O grande problema de Freixo em sua possível campanha a governador do estado do Rio de Janeiro 2022 é justamente o discurso que ele cristalizou ao longo de seus mandatos na questão da segurança pública: há discursos, muitos, contra a polícia, e quase nenhum sobre tráfico de drogas, menores delinquentes ou bandidos condenados. Essa bolha e dificuldade de se comunicar com uma população que clama por segurança podem bloquear a vitória de Freixo.

Passaremos esta segunda-feira à espera de alguma declaração sobre a morte de Lázaro, criminoso caçado com montes de registros pavorosos, e que num país como os Estados Unidos, por exemplo, iria da prisão perpétua à pena de morte, sem apelos jurídicos. Estivesse valendo, em nossa Constituição, ao menos a prisão perpétua, o número de crimes decerto diminuiriam. Entretanto, há razões distantes de nossos olhos que fazem com que tudo fique como está.

O salto em direção a um discurso menos radical pró-bandido e mais próximo das polícias e da Justiça brasileira tornaria a esquerda mais palatável ao eleitorado brasileiro, majoritariamente conservador, que teve uma escala mínima em governos de Lula e Dilma, leia-se “Lula Paz e Amor”. A total omissão e falta de apoio às autoridades de segurança colocam a esquerda, do ponto de vista da narrativa, do lado contrário da lei, da ordem e da segurança. E é por isso que, apesar da grita de artistas e personalidades públicas, bons e preparados candidatos de esquerda, como o próprio Freixo, têm teto baixo.

Por outro lado, o discurso de extrema direita do “bandido bom é bandido morto” não é mais aceito pela sociedade como era até os anos 90. É preciso, de fato, uma mudança desses conceitos extremados. Mas isso passa obrigatoriamente pela transformação da legislação.

A morte de Lázaro Barbosa não é para ser aplaudida de maneira nenhuma, como se fossemos uma sociedade da barbárie, uma civilização sem propósito. Mas infelizmente é a única ferramenta da polícia, lá na ponta, para encerrar um ciclo de crimes impunes e dar respostas à população. Respostas que enfrentam o fato de um criminoso desse quilate sair pela porta numa “saidinha da Páscoa”.

Acuado com o cerco da CPI da Covid, o presidente Jair Bolsonaro deu a seguinte declaração em seu Instagram: “Parabéns aos heróis da PM-GO por darem fim ao terror praticado pelo marginal Lazaro, que humilhou e assassinou homens e mulheres a sangue frio. O Brasil agradece! Menos um para amedrontar as famílias de bem. Suas vítimas, sim, não tiveram uma segunda chance. Bom dia a todos!”. No Twitter, Bolsonaro (leia-se Carlos Bolsonaro) simplificou: “LAZARO: CPF CANCELADO!”.

Nem ao céu, nem à terra. Mas precisamos falar disso.

7 COMENTÁRIOS

  1. Isso é desespero pra jogar nuvem de fumaça na CPI. Até a fakeada tentaram reeditar, e acabaram mostrando que a cicatriz não condiz com o golpe da facada. Sobre Lázaro, todos sabem que era um pistoleiro, e que a PM, com 270 homens, tinha a obrigação de capturá-lo vivo, para que os mandantes dos crimes pudessem ser identificados. A bandidagem agradece. Mas atenção, seguidores do Capitão, vocês vão aprender: os bandidões usam terno e gravata. Acordem!!!

  2. Concordo que as lideranças de esquerda muitas vezes parecem condencentes com o crime, especialmente o Psol. E o freixo com certeza é afetado por isso. Mas nesse caso, o que havia para fazer além do silêncio?

    • Kkkkkkkk,escrevi outro comentário, e fui censurada!!!pedi para quem se apieda de marginal assassino,experimentar ter um filho seu morto,ou estuprado por um estrume desses,pra ver se não muda de ideia rapidinho,e concorda q Assassino bom,é assassino morto!!!
      A EMPATIA da esquerdalha só atinge o marginal,nunca as vítimas!!!São tão psicopatas ,qto o Lazarento!

  3. A esquerda é a desgraça do Brasil. Ela aplaude os bandidos e se encastelou em diversas esferas de poderes. Vejam a parente de Beira Mar no legislativo carioca. Que lástima. Im memorian, post mortem, Glórias ao Generalíssimo Emílio Garrastazu Médice, que disse que a Revolução de 1964 não se rendia a bandidos. Parabéns também ao Grande Presidente da República Capitão Deputado Jair Messias Bolsonaro, o flagelo das facções criminosas.

  4. Bandido bom é bandido morto sim,filhote!!
    Experimenta ter um filho seu assassinado por um filhodaputa desses,q vc muda de ideia rapidinho!!!Experimenta ter um pedófilo estuprando teu filho ou filha,q essa babaquice de “sociedade falsamente evoluída”vai pro espaço!!
    GENTE QUE NÃO TEM EMPATIA PELAS VITIMAS,e cheio de escrúpulos com a vidinha de assassino,É TÃO PSICOPATA QTO ESSE MARGINAL AÍ!!!!

  5. Frouxo e Babacoulos estão em prantos ,chorando a morte dessa “vítima ” da sociedade!!!Kkkkk o vagabundo já virou até negro,agora!!!!
    Foi a melhor notícia do dia!!!Ainda bem q mataram esse estrume!!!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui