Saci Pererê, um dos personagens mais conhecidos do folclore brasileiro - Foto: Reprodução

Hoje (31/10) é Dia do Saci. Um ser extremamente inteligente. Monteiro Lobato, se apoderou do personagem e inventou um monte de coisa nada à ver com o mito africano e nem com a cultura brasileira. Transformou um personagem negro inteligente em malandro.

Hoje também é o dia das bruxas ou Halloween. É uma tradição celta. Para as Bruxas, é a festa com seus ancestrais e espiritualidade. Não essa festa americana que tantam nos fazer engolir. Essa tal comemoração sem sentido me lembra Ariano Suassuna e sua posição contrária aos “Halloweens” de latrino-america. O Saci e o Negrinho do Pastoreio são bem mais simpáticos. Alguém aqui coloca o filho para bater nas portas e dizer “doçuras ou travessuras”?

O Saci é um personagem bastante conhecido do folclore brasileiro. Tem sua origem presumida entre os indígenas da Região das Missões, no Sul do país, de onde teria se espalhado por todo o território nacional.

O Saci é uma figura tipicamente brasileira, suas características são construídas a partir da miscigenação dos usos e costumes dos negros, brancos e indígenas. O pito, usado pelo personagem, é uma herança africana, enquanto seu nome é indígena e seu gorro tipicamente europeu. Ele teria perdido a perna jogando capoeira.

Considerado uma figura brincalhona, o Saci se diverte com os animais e pessoas, fazendo pequenas travessuras que criam dificuldades domésticas. A história conta que ele gosta de assustar viajantes noturnos com seus assovios – bastante agudos e impossíveis de serem localizados.

O Saci, também é considerado um grande conhecedor de ervas medicinais. Sua figura é bastante importante na história oral brasileira, sendo usada, nas áreas rurais, como explicação para fenômenos desconhecidos da natureza e como forma de assustar a crianças.

O Saci Pererê é 100% brasileiros, atravessa gerações em todo país. É impossível não ligar essa entidade folclórica as entidades de Umbanda – outra religião 100% brasileira, denominadas Exú Mirim. Saci é travesso, malandro e carrega a energia das crianças! Saci é Ésù que tá sempre em movimento!

Viva o Saci Pererê, o Negrinho do Pastoreio, a mula sem cabeça, o lobisomem! Nossas crenças e cultura. Se não exaltarmos e lembrarmos, até nossas crenças vão querer nos roubar.

Cidadão Baixada. Filho, neto e bisneto de pernambucanos é caxiense, portelense, tricolor, professor de História e Jornalista. É pesquisador na área da pessoa com deficiência, voluntário do Lions Clube Xérem e no Pré-Vestibular Comunitário da Educafro.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui