Neste sábado, (17/10), os trabalhadores do samba receberam Martha Rocha e o vice Anderson Quack (PDT). O encontro aconteceu na Casa de Samba, na Rua Belizário Pena, na Penha. Os idealizadores, Marcelo Santos, Júlio Morais, W Luna e Eduardo Familião, já apresentaram o projeto para Benedita da Silva (PT) e Eduardo Paes (DEM), assim como os outros candidatos e aguardam entrar nas agendas dos candidatos para apresentação dos temas principais de atuação.

Em 3 dias, diversos grupos aderiram o movimento como: Associação Carioca de Blocos e Bandas Carnavalescas – Folia Carioca, Movimento de Mulheres Sambistas, Centro de Articulação de Populações Marginalizadas (CEAP), Instituto de Pesquisa e Cultura Negra (IPCN), Roda de Samba da Pedra do Sal, Gloriosa Roda de Samba, Casa do Nando, Beco do Rato, Moça Prosa, entre outros.

“A cultura é a nossa grande chave para virar a questão econômica, não tenho a menor dúvida disso, gera empregos. O que acontece com a cultura hoje é o retrato do desprezo e desapego…”, declarou a candidata Martha Rocha, que foi apoiada por seu vice Quack, veterano na construção de projetos ligados ao samba, não só pela vivência pessoal como pela profissional.

A iniciativa suprapartidária reuniu lideranças culturais, candidatos e seus representantes, como Beta Assunção e Viviam Chagas do Samba das Rosalinas, Wanderson Luna (Pede Teresa) Pedro Paulo e Paulo César (Centro do Samba), Jaiminho (Samba da Almirante), Luciano Bom Cabelo (Terreiro de Crioulo), Nika Andrade (Canal Sambei), Everton Gomes (PDT), Danilo Firmino (PSB), Nego PRW (PSB), entre outros. O evento atuou dentro das normas de segurança exigidas pela OMS, todos com máscaras, portando álcool e evitando aglomeração.

4 COMENTÁRIOS

  1. Engraçado que historicamente nessa cidade, os maiores inimigos dos sambistas populares eram os delegados… agora essa ai quer que a gente acredite que ela se importa com cultura popular.. kkkk só rindo mesmo…

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui