O Museu de Astronomia e Ciências Afins (MAST) realiza a XXVI Semana de Astronomia (SEMA), de 13 a 17 de novembro, com uma série de atividades grátis. Em celebração ao Mês da Consciência Negra, a instituição vai lembrar as contribuições dos povos africanos para a cultura e a astronomia moderna. Durante 5 dias, o evento com o tema Agbára Dúdú (no idioma yorubá significa ‘força negra’) mostrará ao público recentes descobertas da ciência por meio de atividades lúdicas e palestras para crianças, jovens e adultos. Uma das novidades deste ano é uma programação específica para professores, que acontecerá paralelamente às atividades voltadas aos visitantes do Museu e contará com a presença de cientistas africanos.

Normalmente, a ciência é compreendida como algo abstrato e alheio às tensões e processos sociais. No entanto, este entendimento vem mudando nas últimas décadas com os avanços dos estudos sociais das ciências. Neste contexto, a XXVI Semana de Astronomia levantará discussões sobre uma das principais heranças da diáspora africana na América: a cultura brasileira. Isto se justifica porque não é possível fazer história da ciência, promover a educação em ciências nem divulgação científica sem entender a cultura que produziu seus cientistas, suas instituições e suas práticas.



Entre os destaques da Semana de Astronomia do MAST, estão as sessões de planetário sobre astronomia nas culturas africanas –elaboradas pelo grupo de planetaristas do programa Ciência Móvel do Museu da Vida –, sessões de filmes e debates com o Coletivo Cineclube Atlântico Negro (CAN), palestras de astronomia na perspectiva étnico-racial e oficinas como a de ‘Relações Raciais e Cultura Brasileira’ com astrônomos do Observatório Nacional.

Para os Professores

O MAST criou uma programação especial para os professores, que acontecerá na quinta-feira, 15/11. Com a participação de cientistas africanos, as atividades terão com carga horária de 10 horas, com direito a declaração de participação, a abordará os desafios para o ensino da astronomia e da física em sala de aula, boas práticas e trocas de experiências entre os docentes. Para participar, no entanto, é necessário fazer a inscrição.

Programação Completa

Pedro Cantalice – cavaquinista – Foto: Marcos Tristão

XXVI Semana de Astronomia 2018 – Agbára Dúdú

Terça-feira – 13/11
Planetário Astronomia nas Culturas: África – Sessões às 9h,10h, 11h, 14h,15h e 16h – Sala de Atividades do Prédio Sede do MAST
Muita gente pode não se dar conta, mas os diferentes povos e culturas atribuem diversificadas interpretações e significados ao céu, lua, sol, estrelas e eclipses. Nesta sessão de planetário será explorada a cosmovisão de alguns povos africanos.

Programa de Observação do Sol – De 9h às 12h e das 14h às 17h – Pátio Externo do MAST.
O MAST possui telescópios e filtros para a observação do Sol de forma segura. Por meio deles vemos o Sol com um aspecto alaranjado e podemos observar as manchas solares, observadas pela primeira vez com por Galileu Galilei, no século XVI.

Bate-papo com cientistas brasileiros e africanos – 10h – Auditório do Prédio Anexo do MAST
O astrônomo moçambicano Valente Cuambe, a astrônoma cabo-verdiana em formação Dulcelena Cardoso Semedo e a geóloga do Nordeste do Brasil Dayse Mirella Oliveira Timóteo conversam com o público sobre suas trajetórias acadêmicas.

Oficina de Astronomia – Astrônomos do Observatório Nacional – 15h

Quarta-feira – 14/11
Planetário Astronomia nas Culturas: África – Sessões às 9h,10h, 11h, 14h,15h e 16h – Sala de Atividades do Prédio Sede do MAST
Programa de Observação do Sol – De 9h às 12h e das 14h às 17h – Pátio Externo do MAST.
Oficina de Astronomia -Astrônomos do Observatório Nacional – 10h

Exibição do curta-metragem Jurema seguido de debate com Clementino Junior (CAN) e Aza Njeri (UFRJ) – 15h – Auditório do Prédio Anexo do MAST
Realizado em 2014 pelo cineasta Clementino Junior, o filme de 14 minutos mostra o registro íntimo do Ritual da Jurema, como é feito na Umbanda da Irmandade Cercado de Boiadeiro em Sepetiba, Rio de Janeiro, sob o comando da Iyalorixá e atriz Chica Xavier.

Quinta-feira – 15/11
Planetário Astronomia nas Culturas: África – Sessões às 15h e 17h – Sala de Atividades do Prédio Sede do MAST
Programa de Observação do Sol – Das 14h às 17h – Pátio Externo do MAST

Oficina ‘Desconstruindo Olhares’ – Dra. Moema Vergara, Dr. Bruno Capilé e Hellen Tavares (MAST) – 16h – Auditório do Prédio Sede do MAST.
A cultura brasileira é marcada pela miscigenação em um contexto de dominação colonial que gerou uma hierarquização das relações raciais e o consequente racismo, causador de conflitos no cotidiano. Nesta oficina, a historiadora do MAST, Dra. Moema Vergara, o biólogo Dr. Bruno Capilé e a pedagoga em formação, Hellen Tavares, irão provocar uma discussão, por meio de imagens, sobre os processos que construíram nossa percepção sobre a questão racial.

Sexta-feira – 16/11
Planetário Astronomia nas Culturas: África – Sessões às 9h,10h, 11h, 14h,15h e 16h – Sala de Atividades do Prédio Sede do MAST
Programa de Observação do Sol – De 9h às 12h e das 14h às 17h – Pátio Externo do MAST.

Palestra Do Big Bang às Culturas: A História da Astronomia Numa Perspectiva Étnico-Racial – 10h – Auditório do Prédio Anexo do MAST.
Narração de história apresentada pelo Dr. Alan Alves Brito, astrofísico da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, apresentará a história da Astronomia numa perspectiva étnico-racial. De 13.8 bilhões de anos atrás para cá, o tecido cósmico do Universo, a luz, a matéria, as galáxias, as estrelas, os buracos negros, os planetas e a própria vida como a conhecemos fazem parte do “retrato de família” do Universo.

Exibição do Filme Águas no Muquém – Sobreviventes de uma Enchente seguido de debate com Clementino Junior (CAN) e Mestre Julio Vítor – 15h – Auditório do Prédio Anexo do MAST.
Este documentário de 25 minutos registra as memórias dos sobreviventes do Quilombo do Muquém, referentes à enchente de 2010 do Rio Mundaú em União dos Palmares, Alagoas. As tábuas de salvação de dezenas de pessoas foram os tetos das casas e principalmente os Pés de Jaca que sustentaram diversos moradores durante mais de 10 horas. Realizado em 2013, o filme é fruto da Oficina de Vídeo-Memória do Cineclube Atlântico Negro ministrada pelo professor Clementino Junior em União dos Palmares.

Sábado – 17/11
Planetário Astronomia nas Culturas: África – Sessões às 15h e 17h – Sala de Atividades do Prédio Sede do MAST
Programa de Observação do Sol – Das 14h às 17h – Pátio Externo do MAST

Palestra ‘Narrar e dominar: algumas reflexões sobre as representações do Antigo Egito’ – 15h – Auditório do Prédio Anexo do MAST.
Nesta palestra, a professora Giselle Marques Camara (da área de História Antiga no Departamento de História da PUC-Rio e do Programa de Pós-graduação em História Antiga e Medieval UERJ) discutirá as representações do Egito dos Faraós, que nos faz imaginar em “um Egito branco e ocidental” descolado da África.

Brincando com o Sol – Demonstração de Aparatos de Energia Solar – 14h às 17h – Pátio Externo do MAST.

Oficina AstroMania: Radioastronomia Loves África! – 16h – Auditório do Prédio Sede do MAST.
Nesta atividade são abordadas as ondas de rádio que vêm de origem extraterrestre e são capturadas por grandes antenas chamadas radiotelescópios. Neste AstroMania temático, construiremos uma antena galena, que capta ondas de rádio terrestres. A antena vai nos ajudar a entender mais sobre os radiotelescópios e como astrônomos do Square Kilometre Array, o maior radiotelescópio terrestre ser instalado em oito países da África e Austrália, irão desvendar mistérios sobre galáxias, estrelas e buracos negros.

Sarau astronômico-musical com o cavaquinista Pedro Cantalice – 17h30 – Campus do MAST / Observatório Nacional
Primeiro bacharel de Cavaquinho do Brasil, recentemente graduado pela UFRJ, Pedro Cantalice vai apresentar um repertório instrumental diversificado, com choro, baião, samba e até uma composição mais camerística em que o cavaquinho atua à capela. De quebra, fará uma explanação sobre a sua trajetória artística e falará um pouco sobre a experiência de ser o pioneiro como cavaquinista com diploma no país.

Programa de Observação do Céu – 18h30 às 20h – Pavilhão da Luneta Equatorial 21
Nesta atividade, são utilizados equipamentos como a centenária Luneta Equatorial Heyde de 21 cm e um telescópio refletor Celestron de 8 polegadas de abertura. No período da XXVI SEMA será possível observar a Lua e Marte.

Serviço

XXVI Semana de Astronomia (SEMA) – 13 a 17 de novembro Museu de Astronomia e Ciências Afins – MAST
Rua General Bruce, 586 / Tel: 3514-5299 e 3514-5229

Inscrições para Professores – Acesso pelo link
https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSezgkr2GrMy2WZOayZjUzJ0M9icB_9zmXvV6YtCq44S_A1OTQ/viewform

Grupos escolares – Agendamento com o Núcleo de Público do MAST pelo e-mail atendimento@mast.br ou pelo telefone (21) 3514-5229.

GRÁTIS

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui