Insonia por Alyssa L. Miller

O que acontece com alguém que não dorme bem? Você dorme bem ou é daqueles que vive acordando, no meio da noite, para se certificar se está vivo?

O que é uma insônia? O que leva alguém a perder o sono? O distúrbio do sono não é um problema de origem química, orgânica, fisiológica mas, sim, o efeito de uma inquietação psíquica, de algo que resulta de um sofrimento do desejo, na vida partícula de um indivíduo. De todo modo, ela não é uma patologia específica, um quadro clínico, mas um sintoma que pode estar presente em situações clínicas diversas.

Existem vários tipos de insônias: tem pessoas que simplesmente não dormem, outras, que começam a dormir e despertam ou tem dificuldade de retomar o sono. Alguns, após algum tempo de sono, despertam e não conseguem voltar à dormir. Há aqueles que dormem muito pouco e passam o dia sonolentos e também tem gente que dorme mas acha que nunca é suficiente, que a noite lhe ficou devendo um bom repouso!

A insônia é sempre um chamado, um pedido de questionamento, ela é sinal de alguma coisa mal resolvida na vida de alguém que quer falar. Ela é a consequência de um medo que habita os recônditos obscuros da sua alma. Uma angústia de morte que leva o sujeito a se antecipar no despertar doentio como uma maneira ilusória de controlar uma verdade que necessita ser decifrada. Por isso mesmo, na maioria das vezes, somente o uso de uma medicação não consegue debelá-la, pois as suas raízes vão continuar vivas, produzindo outros efeitos sintomáticos.

O que caracteriza a dificuldade de dormir como insônia é o fato de alguém ter, frequentemente, noites mal dormidas. A insônia pode recair em qualquer faixa etária. Uma criança, por exemplo, atualiza a insônia dos seus pais! Me lembro de um menino que não dormia, tinha pesadelos, e passou a acordar o seu pai todas as noites. Era o pai e não a mãe. Seu pai, quando adolescente, dormia enquanto o seu irmão mais velho sofreu um acidente de carro numa madrugada, levando-o à morte. A insônia deste menino refletia uma angústia latente, não resolvida, deste pai. Depois que este pai passou a colocar um pouco de humor na história – olha, meu filho, papai está vivo! – a coisa se desfez.

Insonia por Bethy

O individuo insone há muito quebrou as regras do bem viver. O sono reconfortante faz parte do itinerário da vida. O bem viver requer boas noites de sono na medida em que ele é “o melhor e mais confiável enfermeiro da humanidade desde a aurora do tempo”.

O insone é aguem que se trata injustamente. Dia e noite não se separam mais, vivem uma relação contínua, sem a presença necessária de um sono reconfortante. Você dorme bem?

O cansaço excessivo tem atrapalhado o bom desempenho de seus dias de trabalho. Você não tem conseguido repousar o suficiente para recarregar o seu organismo de uma nova energia para continuar a sua batalha do cotidiano. Isso tem perturbado a sua vida e você nem mesmo faz ideia da razão de um tal desconforto. O que dificulta seu adormecimento à noite? Ao não se permitir dormir e ter um sono reconfortante, mesmo sem se dar conta, você está se impondo um sacrifício culposo, de alguma coisa que não é sem uma conexão com as suas emoções desencontradas.

Os desconfortantes sinais de uma irritabilidade injustificada já fazem parte de seu dia a dia. Isso não é bom. A preocupação tomou conta da sua vida. Você agora se tornou um indivíduo preocupado. Isso é muito sério, você se casou com a preocupação, não consegue deixá-la fora da sua vida. Você faz ideia do que é um sujeito preocupado? Um e outro fazem parte de um mesmo circuito.

Monday Morning Nightmares por Marimoon

Uma vida sem gosto, sem prazer, sem lugar para novas emoções. Que tristeza! O dia emenda com a noite como se fosse uma máquina que não pode parar. O pouco que você consegue dormir é à custa de remédios. Você dorme acordado, em vigília, abafando uma angústia. Porque não parar para pensar, se perguntar sobre o que realmente está se passando, o que essa inquietação noturna que dizer. Sim, nesse ponto de uma vigília excessiva, você quer se dizer alguma coisa que ainda não sabe, de uma inquietação que certamente diz de um sofrimento verdadeiro, que vive amordaçado pelas suas preocupações desconhecidas de si mesmo.

Sua vida anda sonolenta – aqui, em todos os sentidos. Você já não é mais aquele pai tão presente, aquele amante que sabia cortejar sua mulher, nem mesmo consegue ser aquele bom amigo que gastava tempo nas conversas. Tornou-se um sujeito desagradável, alguém que não consegue mais surpreender nem ser surpreendido, sempre na defesa, pois está marcado pelo cansaço das repetições. Bocejante, nervoso, pouco produtivo. Suas noites têm sido marcadas por um constante acordar com sobressaltos sem conseguir voltar a dormir. Pergunte-se, porque não consegue reconciliar o sono, o que lhe teria sido de direito? Por onde anda o seu prazer de dormir. O prazer tornou-se uma devastadora obrigação. Remédios?

De uma maneira geral, e este dado é observado na clínica, as mulheres são muito mais sensíveis aos distúrbios do sono, principalmente com uma aproximação da menopausa.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui