Foto: Brasil Brokers

Dados da área de Inteligência Imobiliária da Brasil Brokers apontam que o mercado imobiliário do Rio teve o melhor desempenho desde 2014, ano em que o setor estava aquecido em função da alta demanda gerada pela realização da Copa do Mundo, e antes da crise econômica que se instalou após esse período. A informação foi publicada no jornal O Globo.

Segundo o levantamento, a combinação de juros (ainda) baixos e home office foram determinantes para a Capital Fluminense atingir esse resultado, no qual as transações com imóveis prontos e usados saltaram 48% este ano, na comparação com 2020. A análise leva em conta os primeiros três trimestres do ano.

A avaliação do cenário considerou o número de transações imobiliárias, não os preços de venda. Entre janeiro e setembro deste ano foram 40,2 mil negócios na cidade, contra 27,1 mil no mesmo período do ano passado.

Os números não levam em conta as vendas de imóveis na planta e incluem empreendimentos comerciais, embora a grande parte corresponda a imóveis residenciais.

Copacabana, Botafogo e Leblon impulsionam retomada do mercado imobiliário na Zona Sul do Rio

O estudo também mostra que a Zona Sul registrou os maiores índices de vendas. Ipanema e Flamengo, por exemplo, tiveram o maior número de transações em uma década. Em Leblon, Copacabana e Botafogo, o desempenho é o melhor desde 2012.

Contudo, o melhor resultado do setor na Barra da Tijuca, na Zona Oeste, com mais de 5 mil negócios fechados em 2021. No Recreio dos Bandeirantes, o volume é o maior desde 2011. Na Zona Norte, a Tijuca lidera a lista, com um salto de 60% nas transações.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui