Imagem em 3D mostra como ficará o local após a reforma. Foto: Reprodução

O Metropolitan, casa de shows no Via Parque, na Barra da Tijuca, vai finalmente reabrir. Fechada desde 2020 devido a pandemia do Covid-19, a casa passará a se chamar QualiStage e terá a capacidade para 9.500 pessoas em pé e 3,5 mil sentadas.

A Qualicorp, plataforma de escolhas de planos de saúde do Brasil, em parceria com três empresários da cultura e do entretenimento – Alexandre Accioly, Bernardo Amaral e Dody Sirena – adquiriu o “naming rights” da casa que será administrada pelos empresários.

A casa receberá shows, espetáculos de teatro, dança, musicais, palestras e competições de e-sports para atrair todo tipo de público, além de uma novidade: um estúdio de 100 metros quadrados atrás do palco, onde poderão ser gravadas entrevistas, campanhas publicitárias e outras atividades. Nas próximas semanas serão anunciadas as primeiras atrações e informações de vendas*.

Diretor-geral da casa de espetáculos, Bernardo Amaral, filho do idealizador do Metropolitan, Ricardo Amaral, encara com otimismo a retomada dos espetáculos.

Participei do projeto do Metropolitan desde a sua concepção, em 1993, depois da obra e da abertura, em 1994, e fui diretor-geral até 2001. Tenho, obviamente, uma forte ligação emocional com a casa. E agora é uma nova história. Estamos modernizando a casa, começando pelo conceito e passando pelo palco, camarins, revestimentos, mobiliário… Tudo!“.

Alexandre Accioly lembra que lamentou o fechamento da casa, em 2020. “É nas crises que aparecem as oportunidades – diz ele. – Acho que as pessoas querem retomar suas vidas, ir a espetáculos, à praia, se abraçar, se beijar. Não vejo a hora de ver o Rei Roberto Carlos nos nossos domínios“.

Dody Sirena, empresário do Rei e sócio da casa, completa, “Com o grande impulso da Qualicorp, o Rio de Janeiro passa a ter o Qualistage, o maior hub de entretenimento, conectando o mundo do show-business, turismo, e-sports e todos os movimentos culturais“.

O projeto de reforma do Qualistage, que modernizou os camarins, os palcos e instalou um novo mobiliário no espaço já ocupado pelo Metropolitan, tem a assinatura do arquiteto João Uchôa e conserva boa parte da concepção original do projeto do arquiteto Sérgio Dias, da luz de Peter Gasper e da acústica, assinada por Sólon do Vale.

Casa sediou shows de artistas como B. B. King, Alanis Morissette, Luciano Pavarotti, Legião Urbana e Red Hot Chilli Peppers

Inaugurado em setembro de 1994, a casa teve muitos nomes, de 2000 a 2003 foi chamada de ATL Hall, depois até 2007 de Claro Hall, então até 2015 de Citibank Hall, entre 2015 e 2017 voltou com o nome original, até a Ipiranga comprar o naming rights e usar até 2019 o esquisito nome de KM de Vantagens Halls.

Metropolitan na Barra da Tijuca (Foto: Arquivo / Reprodução)

Com um palco de 500 m² e pé direito de 50 metros, a casa teve shows desde o saudoso Mamonas Assassinas, passando por Roxette, Linkin Park, Taylor Swift, Donna Summer, B. B. King, Alanis Morissette, A-ha, Andrea Bocelli, Luciano Pavarotti, Legião Urbana, Red Hot Chilli Peppers, Iron Maiden, Oasis, entre tantos outros.

*Os Clientes, corretores e parceiros especiais da Qualicorp terão vantagem com descontos e opção de compra antecipada de ingressos dos espetáculos.

2 COMENTÁRIOS

  1. Ouvi na Rádio JB sobre a QualiStage e pensei que fosse a Margarina popular do Guanabara quem estivesse financiando o lugar.
    Esse espaço muda muito de nome e na minha opinião não gera uma identidade. Metropolitan by Qualicorp seria uma associação perfeita atualiza o nome sem perder a referência. Espero que nos próximos 10 anos vcs resgatem a grandiosidade deste lugar. Parabéns e Sucesso.

  2. Fui a um dos últimos shows, em 2019 e, pra mim, para sempre será Metropolitan … nem o Google mudou o nome …
    Denominação mais adequada não há – mas esses lances de patrocinadores, já renderam nomes pra lá de esquisitos, fazer o que???
    Eu? Continuarei com Metropolitan!!!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui