Hoje houve alguns confrontos entre milícias e traficantes em favelas da Zona Norte. Cordovil e Ilha do Governador, como pode ser lido aqui. Achar que isso é novidade, é apenas ler o jornal do dia e não lembrar do de ontem, como quando batalhões da PM foram atacados por traficantes, ou desconhecer os confrontos na Cidade de Deus.

A tendência é ter um aumento nos confrontos., e depois cair, já que a fonte de renda acaba (drogas), e logo a captação de novos criminosos também (menos dinheiro, e menos contacto com jovens carentes, que não vê mais o traficante como herói). O mesmo ocorre com assaltos no “asfalto”, os criminosos não pertencem à s comunidades dominadas pelas milícias, já que estas não permitem que eles morem na comunidade, ou seja, podem vir de comunidades com traficantes, ou aqueles expulsos das comunidades.

Bem, este é um post esperançoso, que consegue imaginar um Rio sem violência.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui