(Foto: Moradores de Copacabana)

Quem vive em Copacabana já se acostumou a andar pela região e notar que falta alguma coisa nas ruas do bairro. Essa sensação é provocada pelo sumiço repentino de diversas tampas de bueiros que tem sido furtadas nesse trecho da Zona Sul carioca.

O desaparecimento de tampas e grades dos bueiros não só chama atenção de quem caminha pelas esquinas do bairro, como gera uma série de transtornos para os moradores, que improvisam “tapa-buracos” e alertas para que ninguém se acidente nos trechos avariados.

O furto das peças é democrático, e “contempla” várias vias de Copacabana. Ruas como a Francisco Sá e a Raul Pompéia são algumas das que vem sofrendo com a ação dos bandidos.

Buraco na Rua Francisco Sá (Foto: Moradores Copacabana)

Segundo Horácio Magalhães, presidente da associação de moradores Amigos de Copacabana, não são apenas as grades e tampas de bueiros que são alvos dos furtos, registros de incêndios, hidrômetros e fios de cobre do sistema elétrico também estão no radar dos bandidos.

Esse problema tem se intensificado em Copacabana desde o ano passado. Com a pandemia, as ruas tem ficado desertas, sobretudo à noite, isso tem facilitado a ação dessas pessoas“, avaliou.

Aviso de bueiro roubado na Rua Raul Pompéia (Foto Moradores Copacabana)

O DIÁRIO DO RIO entrou em contato com a Polícia Militar, para saber como anda o patrulhamento do bairro.

Por meio de nota, a Assessoria de Imprensa corporação informou que “prende diuturnamente inúmeros indivíduos durante cometimento de práticas de furto, sejam elas contra o patrimônio público ou privado. Na maioria absoluta das vezes, os conduzidos são postos em liberdade logo após as Audiências de Custódia, tornando assim a reincidência dos crimes linear diante da certeza de impunidade”.

A polícia ressalta que “esses crimes são cometidos, muitas vezes, por indivíduos em situação de vulnerabilidade e diante de brechas de oportunidade, aproveitando-se do dinamismo do policiamento ostensivo“, e reforça.

Tais crimes demandam atividade investigativa para que os envolvidos sejam identificados e presos, tanto aqueles que praticam os delitos quanto, e principalmente, os receptadores do material“.

E conclui citando que, “de acordo com os dados estatísticos compilados pelo Instituto de Segurança Pública (ISP), num comparativo de janeiro a junho entre os anos de 2020 e 2021, houve queda de 37,6% no total de furtos na região do 19ºBPM (Copacabana)“. 

Já a Secretaria Municipal de Ordem Pública (SEOP) informou ao DIÁRIO DO RIO que “tem feito diversas operações em ferros-velhos para auxiliar, da forma que cabe ao poder municipal, ao roubo de cabos, bueiros, ferros e cobre”. 

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui