Moradores de Santa Teresa realizam protesto contra a falta de ônibus e bonde no bairro

O ato foi neste sábado e moradores afirmam que a linha 014, que atende o bairro, passa em intervalos irregulares e o bonde ramal Paula Mattos não circula há dez anos

Foto: Comitê Popular de Luta de Santa Teresa

O transporte é essencial para a vida das pessoas, todos os dias muitos se deslocam pela cidade através das conduções populares, porém, as concessionarias de transportes públicos da região de Santa Tereza se esqueceram disso. Na manhã deste sábado, (28/05), a população local organizou um ato público em protesto contra a situação, no Largo das Neves.

De acordo com moradores, a linha 014, que atende o bairro, passa em intervalos irregulares e poucos carros e o bonde ramal Paula Mattos não circula há dez anos.

Manifestação neste sábado 28 de maio no “Largado das Neves” pela volta do transporte público na região – Foto: Comitê Popular de Luta de Santa Teresa

Paulo Saad, presidente da Associação de Moradores e Amigos de Santa Teresa (Amast), alega, em entrevista ao Jornal EU, RIO!, que durante a pandemia foram retirados vários ônibus da linha 014, alegando a crise sanitária e que agora, após a pandemia, ainda não colocaram mais ônibus.

“A linha é circular e sai do Castelo, passando pelos Arcos da Lapa e sobe Santa Teresa, percorrendo todo o bairro, indo pelo ramal Paula Mattos. O problema é que o primeiro ônibus sai às 8 horas do bairro, quando muitos já saíram de casa para trabalhar e deixa de circular às 20 horas. Mesmo sendo circular, fica parado em um ponto até lotar. Isso, quando o motorista não para em algum lugar para lanchar durante 20 minutos. Além disso, tem dia que tem e outros que não tem ônibus. Há ônibus das 8h às 12h e, depois, das 16h às 20h. Tem ainda outra linha, a 006, que cumpre o trajeto Silvestre-Castelo, com intervalos irregulares e poucos ônibus”, reclama o presidente da associação.

O bonde não tem, pelo menos, uma previsão de quando vai voltar a circular. “O ramal Paula Mattos, que vem do Centro, passando pelo Largo dos Guimarães até a Rua Paula Mattos, não circula desde 2011, quando houve o acidente que vitimou cinco pessoas e feriu 57, sendo retirado de circulação. O Estado ficou de fazer obra reparando os trilhos, mas, até hoje, nada foi feito”, aponta Cristóvão Barcellos, morador e membro do Moreno (Coletivo das Neves), para o jornal EU, RIO!.

O ato foi realizado para que a Prefeitura do Rio tome consciência do problema e normalize a rota do ônibus 014 e a volta do bondinho do bairro ao ramal Paula Mattos. O ato contou com o apoio da Amast e do Coletivo Morenos.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui