Foto: Reprodução

Uma matéria do jornal O Dia traz a informação que o Comando Vermelho, uma das principais organizações criminosas do Rio de Janeiro, homenageou 27 dos 28 mortos no Jacarezinho. O que foi chamado de chacina por muitos, pode-se ver que foi realmente uma operação policial, com inteligência e tendo como alvo criminosos notórios.

No dia 6 de maio, o mesmo da Operação Exceptis, às 18 horas, nos presídios que abrigam criminosos do Comando Vermelho, os bandidos fizeram uma oração própria do CV, junto com o Pai-Nosso, com a leitura do nome de cada um dos mortos, com exceção do policial civil. Antes de cada nome era pedido um “salve”.

O Dia informa que também eram lidos os apelidos (chamados pela polícia de vulgos) dos criminosos mortos. Os presidiários também não quiseram ter seu banho de sol no 6 de maio, como mais uma homenagem, uma espécie de luto pelos comparsas que morreram no confronto com a polícia. O jornal informa que a “cerimônia é feita sempre que um integrante da facção é morto e é puxada pelo presidente da comissão de cada cadeia, que é um líder responsável por tratar dos assuntos dos encarcerados, como faxina, banho de sol e contato com os agentes penitenciários.

10 COMENTÁRIOS

  1. Danico, se és nanico, não tente “naniquizar” a mente dos leitores com falácias (tão mal construídas). Em que mundo achas que VAGABUNDOS iriam memorizar a lista de usuários, clientes que não passam de insumos para financiamento de seu torpe negócio?
    Faça um favor: “NOS POUPE” (sic) você!!!

  2. Excelente matéria! Por aí vemos como nossa situação está crítica e fora da curva. Todos eram bandidos, alguns com passagem na polícia, outros com mandado de prisão em aberto e outros que foram descobertos em suas redes sociais portando armas e vendendo drogas. O mais bizarro é ver alguns acéfalos ainda tentando legitimar a atitude dos bandidos como se fossem “vítimas”. O RJ está carente de operações como essa. É por causa dessa glamorização de bandidos que estão ficando cada vez mais abusados e perigosos. Parabéns à Polícia Civil do RJ.

  3. Que texto sem pé nem cabeça!

    Mesmo “””se””” fossem todos bandidos a polícia não tem o direito de matar ninguém não, então é chacina do mesmo jeito. Se entrasse em um condomínio do Leblon pra matar os sonegadores de impostos que moram lá também seria uma operação de inteligência por matar bandidos?

    Faça me o favor e deixa de falar bobagem!

    • CALE A BOCA! Sua anta, sério que você quer comparar crime de sonegação com tráfico roubo e assassinato, faça um favor para o mundo e cale-se!

  4. Ah me poupe! Só porque uma facção, supostamente, resolveu homenagear aqueles mortos é que o Diário do Rio “sentencia” como “realmente uma operação policial, com inteligência e tendo como alvo criminosos notórios.”
    Quantos neurônios ativos (hein?) para uma generalizada. Diário do Rio Paralelo…
    Há de convir que a facção atuante numa comunidade, razoável seria de que houvesse (como noticiado) uma manifestação aqueles que são usuários da comunidade, independente de que seja ou não dá facção.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui