Foto: Reprodução redes sociais

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) anunciou, nesta segunda-feira (26/07), os nomes dos novos integrantes da Força-Tarefa do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado para o caso Marielle Franco e Anderson Gomes (GAECO/FTMA). Por determinação do procurador-geral de Justiça, Luciano Mattos, o grupo foi reforçado em sua composição e passa a contar com oito membros.

A coordenação estará a cargo de Bruno Gangoni, coordenador do GAECO/MPRJ e que, na última semana, havia sido designado temporariamente para assumir a Força-Tarefa.
Os demais integrantes do GAECO/FTMA são os promotores de Justiça Roberta Laplace, Fabiano Cossermelli, Diogo Erthal, Juliana Pompeu, Michel Queiroz Zoucas, Marcelo Winter e Carlos Eugênio Laureano, na condição de assistentes. Importante destacar que, desde o início, as investigações do caso Marielle e Anderson estavam sob a responsabilidade do GAECO/MPRJ que, na nova formatação, dará a devida continuidade aos trabalhos.

“Reforço o compromisso do MPRJ com toda a sociedade e com os familiares das vítimas de que a instituição está empenhada na elucidação do caso. Para isso, criamos a Força-Tarefa, em março deste ano, e agora estamos ampliando o efetivo para oito promotores de Justiça focados na investigação, todos integrantes do GAECO/MPRJ. Estaremos com uma grande frente de trabalho, reunindo promotores especializados, dedicados à continuidade das investigações, para a identificação dos eventuais mandantes dos crimes. Reafirmo que a elucidação completa deste caso é uma das prioridades absolutas do MPRJ”, pontua Luciano Mattos.

A vereadora e seu motorista foram mortos na noite de 14 de março de 2018. O policial militar reformado Ronnie Lessa e o ex-PM Elcio Queiroz foram identificados como executores dos assassinatos, e já se encontram presos. O PGJ ressaltou ainda que, com a nova composição do GAECO/FTMA, serão preservados o diálogo e a atenção sempre dispensada aos familiares de Marielle e Anderson, bem como às instituições que acompanham o caso, sendo resguardado o sigilo necessário sobre informações que possam comprometer as investigações e o que é determinado legal ou judicialmente.

Desde que iniciou seu mandato, em janeiro deste ano, Luciano Mattos criou diversas Forças-Tarefas em temas que demandam atuação especializada. Entre os casos destacam-se também as investigações sobre as mortes ocorridas na operação policial na comunidade do Jacarezinho, em 6 de maio deste ano, a fiscalização da campanha de vacinação contra a Covid-19 em todo o Estado, o processo de retorno às aulas presenciais no ensino público e as denúncias de maus-tratos contra os adolescentes que cumprem medidas socioeducativas nas unidades do Departamento Geral de Ações Socioeducativas (Degase).

1 COMENTÁRIO

  1. Pqp!!!Que porre!!!
    Depois dessa desconhecida milhares de pessoas foram mortas!!!Pelo menos acharam o assassino, e o das outras pessoas?Chega porra!!Tô me lascando pra essa nulidade aí!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui