Os investigadores do Grupo de Atuação Especializada no Combate à Corrupção (Gaecc) do Ministério Público do Rio (MPRJ) informaram à Justiça do Rio que o ex-secretário de Saúde Edmar Santos ainda cometia crimes mesmo após ter sido exonerado do cargo de secretário estadual de Sáude.

O fato do investigado não mais ocupar a função pública de Secretário Estadual de Saúde não configura causa suficiente de neutralização do risco de cometimento de novos delitos, notadamente na hipótese em que se noticia a realização e continuidade de infrações que não pressupõem essa condição, como é o caso de eventual delito de lavagem de dinheiro”, diz a decisão do juiz Bruno Ruiliere, que autorizou o cumprimento da prisão preventiva.

O ex-secretário de Saúde, Edmar Santos foi preso nesta sexta-feira (10/07), em um desdobramento da Operação Mercadores do Caos. Ele é apontado como chefe de uma organização criminosa que atuava na Secretaria Estadual de Saúde durante a pandemia da Covid-19.

Também nesta sexta, a Polícia Federal encontrou mais de R$ 6 milhões em endereços ligados ao ex-secretário.



Siga nossas redes e assine nossa newsletter, de graça

Jornalismo sério, voltado ao Rio de Janeiro. Com sua redação e colunistas, o DIÁRIO DO RIO trabalha para sempre levar o melhor conteúdo para os leitores do site, espectadores dos nossos programas audiovisuais e ouvintes dos nossos podcasts. O jornal 100% carioca faz a diferença.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui