Lote de CoronaVac - Foto: Márcia Foletto/Agência O Globo

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) denunciou e pediu a prisão preventiva (por tempo indeterminado) da técnica de enfermagem Rozemary Gomes Pita, de 42 anos. A profissional teria simulado da aplicação da vacina contra a Covid-19 no idoso Helcio França dos Santos, de 90. As acusações são de peculato e crime contra a saúde pública. 

De acordo com ação do MPRJ, foi verificado em vídeo divulgado nas mídias, que ficou nítido que a técnica de enfermagem não pressionou o êmbolo da seringa, tendo deixado de aplicar o imunizante. O pedido de prisão tem como fundamento o fato de que a liberdade de Rozemary, por ser profissional de saúde, ensejar riscos para a ordem pública, levando em conta a possibilidade de reiteração da prática criminosa. Nos termos da denúncia da instituição:

“O mencionado vídeo foi gravado pelo acompanhante do idoso, seu genro Marlus Porciuncula Ribeiro, que na ocasião dos fatos gravou toda a ação praticada pela denunciada, restando evidente o animus de desviar dose do imunizante, já que, mesmo após ter afirmado com o seguinte dizer, verbis: “ACABOU”; foi questionada acerca da aplicação da vacina e sequer conferiu a seringa que ainda continha a dose do imunizante”

Outra questão alertada pelo MPRJ é a apropriação de medicamento e material hospitalar, tais como, seringa e 0,5 ml do imunizante do Coronavírus. A conduta da técnica de enfermagem encontra definição legal nos artigos 268 (Infringir determinação do poder público, destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa) e 312 (apropriar-se o funcionário público de dinheiro, valor ou qualquer outro bem móvel, público ou particular, de que tem a posse em razão do cargo, ou desviá-lo, em proveito próprio ou alheio).

Vale lembrar, que a coordenadora de Enfermagem da Fundação Estatal de Saúde, SABRINA DA COSTA REGO, responsável técnica pelo local, afirmou que a seringa com o imunizante não aplicado no idoso não foi encontrada.

Costa do mar, do Rio, Carioca, da Zona Sul à Oeste, litorânea e pisciana. Como peixe nos meandros da cidade, circulante, aspirante à justiça - advogada, engajada, jornalista aspirante. Do tantã das avenidas, dos blocos de carnaval à força de transformação da política acreditando na informação como salvaguarda de um novo tempo: sonhadora ansiosa por fazer-valer!

2 COMENTÁRIOS

  1. Será que o diretor de Hospital que teve enteados vacinados, também terá um pedido de prisão dele e da mulher por desvio?
    Detalhe: ambos trabalham na Organização Social. A técnica de enfermagem também atua numa Organização Social??

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui