Marcelo Crivella, prefeito do Rio - Foto: Saulo Angelo/Futura Press/Estadão Conteúdo

No último sábado (08/08), o Brasil chegou à triste marca de 100 mil pessoas falecidas em decorrência da Covid-19. E, deste total, o município do Rio de Janeiro abrange, segundo o último boletim oficial da Secretaria Estadual de Saúde, divulgado nesta segunda-feira (10/08), 8.612 mortes, representando cerca de 8,6% dos óbitos nacionais.

Tal situação gerou críticas do ex-secretário de Saúde do Rio na gestão de Eduardo Paes, Daniel Soranz, à administração de Marcelo Crivella, atual prefeito da cidade.

Em contato com o DIÁRIO DO RIO, Soranz, lamentou o fato do Rio de Janeiro não conseguir achatar a curva, com o pico da mortalidade tendo ocorrido no mês de maio.

”O Rio é a capital com um dos piores indicadores em relação à Covid-19. Isso se deve à redução de investimento nos últimos 3 anos no Programa Saúde da Família, o sucateamento da rede básica e a péssima opção de escolha de montar hospitais de campanha em estruturas temporárias”, disse o ex-secretário.



Siga nossas redes e assine nossa newsletter, de graça

Jornalismo sério, voltado ao Rio de Janeiro. Com sua redação e colunistas, o DIÁRIO DO RIO trabalha para sempre levar o melhor conteúdo para os leitores do site, espectadores dos nossos programas audiovisuais e ouvintes dos nossos podcasts. O jornal 100% carioca faz a diferença.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui