Foto: Estadão Conteúdo

Um atropelo em forma de música. O que o trio paulista de Thrash Metal Nervosa promoveu no show que abriu os trabalhos no dia do heavy metal do Rock in Rio 2019 foi histórico.

Primeiro vamos falar do som, um thrash metal old school muito bem trabalhado com uma bateria que, por vezes, descamba pro death metal, cheio daquelas batidas que parecem furadeiras em uma grande obra em via pública, os chamados “blast beats”. Aliás, a baterista do grupo, Luana Dametto, tem apenas 21 anos.

A precisão com a qual a banda executa as músicas é algo realmente impressionante. Destaque para a guitarrista Prika Amaral com seus riffs e solos rápidos e criativos. Dentre as músicas do conjunto, destaque para “Never forget, never repeat“, “Hostages” e “Into the moshpit“.

Vale destacar que durante a apresentação da banda, a carismática vocalista e baixista, Fernanda Lira, que faz caras e bocas no decorrer das canções, relembrou a ex-vereadora Marielle Franco, dizendo que pessoas que lutam por justiça social, as vezes, até morrem por esse ideal.

O público para ver a banda é outro fator que chama a atenção. O Palco Sunset estava absolutamente lotado. Mesmo com um calor escaldante, o público abriu rodas, cantou junto e em diversos momentos gritava o nome da banda.

Por fim, a vocalista criticou o machismo no heavy metal e foi muito aplaudida pelos presentes, sobretudo, óbvio, pelas mulheres, que estavam em grande número na plateia.

O dia do metal só está começando, mas não será tarefa fácil para as outras bandas superar a apresentação da Nervosa.

5 guitarrinhas para o show da Nervosa

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui