Imagem: Divulgação.

A cidade de Niterói, por meio da Secretaria Municipal das Culturas, passou a integrar a coordenação do programa IberCultura Viva, que tem como objetivo fortalecer as políticas culturais de base comunitária dos países ibero-americanos. A trajetória de boas práticas na gestão cultural municipal qualificou Niterói para ingressar no grupo de articulação internacional, integrando uma rede com outras cidades. Nesse grupo estão representantes locais de experiências desenvolvidas em diferentes lugares da Argentina, do Chile, da Costa Rica, do México e Peru.

Niterói tem um forte histórico de valorização da cultura enquanto direito”, explicou o secretário das Culturas, Leonardo Giordano.“Esse espaço que estamos ocupando internacionalmente é consequência de muito trabalho, pesquisa e investimentos na gestão cultural municipal. Hoje, somos referência em boas práticas”

Desde 2020, Niterói faz parte da rede, e passa  agora a ocupar um espaço na coordenação de articulação do IberCultura Viva. A parceria foi oficializada durante o 2º Encontro de Cultura Viva Comunitária em Cidades e Governos Locais, realizado em Zapopan, no México, no início de julho.  A Carta de Direitos de Niterói, documento que reúne e consolida os direitos dos cidadãos no âmbito da cultura, foi um dos destaques do  evento

“A Carta de Direitos Culturais, que desenvolvemos com uma metodologia participativa, envolvendo mais de 2 mil pessoas em sua construção, foi um dos pontos que apresentamos para a rede. Niterói é a primeira cidade do Brasil e uma das poucas no mundo a desenvolver uma carta nessa área, o que coloca a gente dentro de um circuito vanguardista em políticas públicas estruturantes para a Cultura”, afirmou Giordano. 

Sobre o IberCultura Viva

É um programa de cooperação técnica e financeira entre governos. Criado para fortalecer as políticas culturais de base comunitária dos países ibero-americanos, busca apoiar tanto as iniciativas governamentais dos países membros como as desenvolvidas por organizações culturais comunitárias e povos originários em seus territórios.

Quando se fala em políticas culturais de base comunitária, tomamos como referência o programa Cultura Viva, criado no Brasil em 2004, e os programas Puntos de Cultura lançados na Argentina (2011), no Peru (2012), na Costa Rica (2015) e no Uruguai (2017). No entanto, são várias as iniciativas governamentais na Ibero-América que apostam na cultura como vínculo fundamental para transformar realidades e buscam reconhecer e potenciar as iniciativas culturais das comunidades nos lugares onde ocorrem. 

Fonte: Portal IberCultura Viva



Toda manhã o resumo do Rio de Janeiro

Babi Wentz

carioca, estudante de Letras na UFRJ.
Nascida numa segunda-feira de carnaval, se apaixonou muito cedo pela arte das Escolas de Samba. Moradora da Taquara, é Zona Oeste desde os onze anos; não dispensa um passeio pelo Centro, uma ida ao Parque de Madureira, uma volta pela Cidade das Artes ou qualquer outro evento que consiga ir. Gosta de teatro e música, às vezes se arrisca nessas áreas. Também é pseudônimo de Bárbara de Carvalho.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui