No aniversário de 21 anos do restaurante popular do Betinho, ato público cobra reabertura da unidade

O DIÁRIO DO RIO vem noticiando a situação dos restaurantes populares, como o de Bonsucesso e Campo Grande, que encontram-se em péssimo estado de conservação

Foto: Fabiano Rocha/ Agência O Globo

Nesta quarta-feira (10/11) o Restaurante Popular do Betinho, localizado na Central do Brasil, completaria 21 anos, mas está de portas fechadas desde 2016. A Frente Parlamentar contra a Fome da Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro promoveu um ato público pela reabertura dos cinco restaurantes populares que ainda estão desativados na cidade. A mobilização aconteceu com o apoio da Ação da Cidadania.

O ato teve início às 11h com protesto em frente ao Restaurante Popular da Central e às 12h houve distribuição de refeições a pessoas em situação de vulnerabilidade na Praça dos Cajueiros, localizada atrás da Rodoviária da Central do Brasil.

“A fome em nosso país voltou aos patamares de 20 anos atrás, mas mesmo diante desta realidade tão cruel, o poder público tem feito muito pouco. O ato de hoje tem o objetivo de cobrar do Governo do Estado um cronograma detalhado de reabertura dos restaurantes populares já existentes na cidade e também as datas de inauguração das novas unidades prometidas”, afirmou o vereador Dr. Marcos Paulo, que é presidente da Frente Parlamentar contra a Fome.

O presidente da Ação da Cidadania Daniel Souza, filho de Hebert de Souza, o Betinho, sociólogo que foi o idealizador do projeto de combate à fome e quem dá nome ao restaurante popular da Central, também esteve no evento e falou sobre a importância da reabertura das unidades.

A ação de hoje foi feita em caráter emergencial para atender aqueles que estão passando fome neste momento, mas sabemos que a reabertura deste e dos outros restaurantes é fundamental, especialmente durante o agravamento da miséria e da insegurança alimentar”, disse Daniel.

Inaugurado no ano 2000 com o objetivo de oferecer refeições de qualidade a baixo custo para pessoas em situação de insegurança alimentar, o Restaurante Popular do Betinho foi o primeiro aberto na cidade e chegou a servir, em média, três mil refeições diárias. Apesar do agravamento da crise e do aumento do desemprego, a unidade da Central e outros quatro Restaurantes Populares localizados na cidade do Rio de Janeiro continuam fechados (Madureira, Méier, Cidade de Deus e Irajá).

O DIÁRIO DO RIO vem noticiando a situação dos restaurantes populares, como o de Bonsucesso e Campo Grande, que encontram-se em péssimo estado de conservação e sem conseguir prestar, completamente, seus serviços.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui