O SMS é o principal meio usado pelos ciberbandidos para aplicar golpes na população / Reprodução: Internet

Um levantamento feito pela Psafe, empresa líder em cibersegurança na América Latina, detectou o aumento de golpes financeiros aplicados com o objetivo de roubar informações bancárias e de cartão de crédito das vítimas no Brasil. Entre as ameaças mais identificadas no contexto financeiro estão os golpes que utilizam indevidamente nomes de lojas virtuais, nomes de bancos e a temática PIX.

Segundo o levantamento, somente no primeiro semestre de 2021, foram verificadas mais de 2,3 milhões de roubos de informações de cartões de crédito, o que representa uma ameaça financeira sendo detectada a cada 6 segundos no país.

Os golpes financeiros são especialmente disseminados através de SMS, através da prática de phishing (crime de enganar as pessoas para “pescar” informações confidenciais como senhas e número de cartões de crédito), na qual o cibercriminoso se passa por uma instituição bancária solicitando o bloqueio ou desbloqueio de um cartão de crédito através de um link, ou solicitando a confirmação de dados bancários supostamente para bloquear uma compra não autorizada. A vítima, pega de surpresa e amedrontada, acaba informando dados sensíveis que serão utilizados nos golpes.

A situação piorou de forma muito expressiva no início de 2021, quando cibercriminosos vazaram os dados de mais de 100 milhões de assinantes de contas de celulares na Dark Web. O PSafe chamou a atenção para o perigo da situação, em fevereiro deste ano, destacando que nos bancos de dados vazados havia informações pessoais que poderiam ser usadas por cibercriminosos para fins escusos.

Ainda de acordo com o Psafe, já há novas modalidades de crimes cibernéticos envolvendo temáticas ligados o novo serviço bancário PIX, que registrou 62 mil acessos e compartilhamentos fraudulentos somente em 2021.

Os riscos para as pessoas com tais golpes são consideráveis, pois vão desde a realização de compras virtuais, assinaturas de serviços online e até abertura de contas bancárias, através da utilização dos dados roubados. Além do mais, há sempre o risco da disseminação do golpe através do compartilhamento do falso site ou link malicioso, potencializado os estragos e ampliando a margem de lucro dos criminosos.

O DIÁRIO reuniu algumas dicas de especialistas sobre como evitar destes golpes. Saiba como se proteger :

1 – Os SMS são os principais meios utilizados para disseminar golpes financeiros. Recomenda-se a utilização de aplicativos ou soluções de proteção do celular em tempo real contra links maliciosos compartilhados através de SMS, WhatsApp, Facebook Messenger e no navegador.

2 – Não clicar em links compartilhados no WhatsApp ou nas redes sociais. Nunca informar dados bancários em sites ou aplicativos dos quais desconhece a procedência.

3 – Não compartilhar links de procedência duvidosa.

4 – Evitar redes Wi-Fi públicas ou sem senha para realizar transações financeiras.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui