Imagem meramente ilustrativa de pessoas circulando pela Praça XV, no Centro do Rio - Foto Cleomir Tavares/Diário do Rio

De acordo com dados do Instituto de Segurança Pública, analisados pelo Instituto Rio21, o número de sequestros relâmpagos caiu consideravelmente nos últimos seis anos. Em comparação com 2014, a quantidade de casos registrados pelas Polícias Civis do município do Rio de Janeiro sofreu uma redução de 31,1% em 2020. No ano passado, foram recebidas 73 denúncias do crime.

Denúncias de sequestro relâmpago, por ano. Fonte: ISP. Elaboração: Instituto Rio21

Até o momento, no ano de 2021, foram registrados 17 casos de sequestro relâmpago na capital. O mês com o maior número de ocorrências foi março, período no qual as Polícias Civis locais receberam 8 denúncias. Em contraste, no mês seguinte (abril), não houve ocorrências. Já em maio, foram registrados apenas dois casos.

Denúncias de sequestro relâmpago, por mês. Fonte: ISP. Elaboração: Instituto Rio21

Dos 17 sequestros relâmpagos registrados esse ano, 13 foram denunciados em delegacias da Zona Norte. Isso equivale a 76,5% dos casos. O total de denúncias recebidas por delegacias localizadas no Centro e na Zona Oeste foi de apenas uma, para cada região. Por sua vez, as delegacias da Zona Sul receberam apenas 2 ocorrências.

Denúncias de sequestro relâmpago, por região. Fonte: ISP. Elaboração: Instituto Rio21

Ao analisar a proporção de casos de sequestro relâmpago registrados por região e por ano, é possível perceber que há um padrão nos locais de denúncia dos crimes. As delegacias da Zona Norte e da Zona Oeste costumam liderar os números de ocorrências, atendendo grande parte das denúncias. Em contraste, as Policias Civis do Centro são as que menos recebem notificações sobre esse tipo de crime.

Proporção de denúncias de sequestro relâmpago, por região. Fonte: ISP. Elaboração: Instituto Rio21

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui