O abandono e perigo na BR-495, rodovia que liga Teresópolis ao distrito de Itaipava, em Petrópolis

Na BR-495, podem ser vistos buracos, fissuras no asfalto, falta de sinalização, desníveis na pista e falta de cuidado com a vegetação

BR-495, que liga Teresópolis a Itaipava não tem manutenção adequada há 10 anos / Reprodução

A BR-495, que liga Teresópolis ao distrito de Itaipava, em Petrópolis, na Região Serrana, está em estado de completo abandono, segundo relatos de muitos usuários da via, que a consideram perigosa para tráfego de carros, caminhões e motociclistas. Os riscos para os ciclistas comuns ou atletas são ainda maiores, segundo informações do Diário de Teresópolis.

De acordo com o jornal, ao longo da via, podem ser vistos buracos, fissuras no asfalto, falta de sinalização adequada, desníveis na pista e falta de cuidado com a vegetação que encobre as poucas placas de sinalização existentes, entre outros problemas.

O produtor rural e administrador Pedro Werneck afirma que é um risco constante passar pela BR-495 / Reprodução: Rede Social

De acordo com o administrador e produtor rural, Pedro Werneck, os problemas são inúmeros

“A BR-495 está em total abandono. Há anos, ela não conta com uma conservação adequada, sejas pelas prefeituras de Teresópolis, de Petrópolis, seja pelos governos federal e estadual. Há crateras imensas ao longo da via, pelas quais o motorista tem passar com grande cuidado, para não danificar o carro. Na estrada também é possível ver fendas no asfalto, que podem danificar os pneus de carros e caminhões,” explicou o produtor rural.

Além dos problemas na estrutura física da BR-495, Werneck destaca ainda os problemas de ordem natural que impactam a mobilidade dos usuários da via.   

“A estrada tem problemas de sinalização. Há poucas placas, que são encobertas pela vegetação que cresce sem qualquer tipo de capina. Durante o período das chuvas, que são torrenciais na região, há a inundação da estrada, além de queda de barrancos, o que torna o ato de ali dirigir, um perigo de morte real para os condutores. Sem contar que não dispomos da presença dos agentes de Segurança Pública para nos dar apoio em qualquer tipo de eventualidade. A BR-495 é muito perigosa. Sou usuário constante da via e conheço os riscos”, finalizou Pedro Werneck.  

As curvas da BR-495 também representam um problema adicional para os condutores. Sinuosas e estreitas, trafegar por elas exige que os motoristas invadam a mão contrária, podendo provocar graves acidentes. Além disso, como a rodovia, ciclistas ou condutores em apuros correm risco real de serem atropelados na via.

Ainda de acordo com o Diário de Teresópolis, um dos trechos mais críticos da BR-495 é a “curva da ferradura”, na proximidades de Petrópolis, que não recebe obras de manutenção adequadas há 10 anos. Os problemas são agravados no período das chuvas, quando ocorrem alagamentos e desmoronamentos.  

A reponsabilidade pela manutenção da BR-495 é o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), que conta com um escritório em Teresópolis. Segundo o Diário de Teresópolis, foram tentados contatos por e-mail, com a sede da Região Serrana, e também com a assessoria do DNIT, em Brasília. Em nenhum dos casos, o jornal recebeu uma resposta.   

Advertisement

2 COMENTÁRIOS

  1. O risco de andar nessa estrada, seja de carro, seja com ciclistas que são bem presentes ou seja de qualquer forma é muito alto, pois além dos buracos o mato invade a pista, estreitando ainda mais a visibilidade. EU viajo frequentemente nessa estrada e o “pavor” é imenso. QUando as autoridades competentes vão se fazer presententes para melhorar essa via que é tão importante para ligação entre os municípios de Teresópolis e Petrópolis.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui