Foto: Instituto de Medicina e Cidadania

O espírito de doação aliado a resgate da saúde pública e ao próximo levou, há cinco anos, o Dr. Luiz Roberto Londres e Dr. Marcio Meirelles a criarem o Instituto de Medicina e Cidadania (IMC). Aberto em abril de 2016, com sede na Gloria, o IMC tem como objetivo principal levar saúde de qualidade a pessoas de baixa renda, colaborando com a rede pública.

Já são mais de 8 mil atendimentos voluntários na área da saúde para as três comunidades em que atua: Morro Azul, no Flamengo, Parque da Cidade, na Gávea e Tavares Bastos, no Catete.

O IMC era um projeto antigo do médico Luiz Roberto Londres que sempre defendeu a recuperação do sistema público de saúde. Ex-dono da Clínica São Vicente, que dirigiu por 50 anos, ele criou o Instituto de Medicina e Cidadania (IMC) para pôr em prática suas ideias. 

A criação do Instituto de Medicina e Cidadania foi um trabalho que uniu também o médico Félix Zyngier, que se dedica há tempos a trabalhos sociais e mantém um projeto há 15 anos no Morro Azul. É dele a frase que se tornou lema no IMC: “Só quem faz trabalho voluntário sabe o prazer que dá”.

Para comemorar o aniversário do IMC, o jornalista Mauro Ventura fará uma Live especial com médicos do Instituto, no dia 26 de julho, às 19h, pelo Instagram.

Atualmente a instituição conta com 16 médicos voluntários, de várias especialidades: clínica geral, angiologia, dermatologia, ortopedia, urologia, pediatria e oftalmologia. Além psicólogos, nutricionistas e fisioterapeutas. Eles atendem gratuitamente no posto de saúde das comunidades ou em seus consultórios. A prioridade é a prevenção e o acompanhamento periódico dos pacientes. 

Desde o início da pandemia o IMC iniciou uma campanha de doação de cestas básicas para ajudar as famílias das comunidades em que atua e tem enviado mensalmente, sem interrupção, cestas básicas.

“A ideia da campanha partiu dos profissionais de saúde voluntários, pois a fome e desemprego aumentaram muito. Então, o IMC resolveu atuar para conseguir doações”, explica Claudio Vieira, Diretor Executivo do IMC.

O projeto já conseguiu doar, até o mês de junho o total de 1.400 cestas. O IMC aceita doações através de depósito bancário ou PIX, cadastro de novos voluntários, além de parcerias com instituições e empresas que queiram se juntar para ajudar o desenvolvimento desse trabalho.

Costa do mar, do Rio, Carioca, da Zona Sul à Oeste, litorânea e pisciana. Como peixe nos meandros da cidade, circulante, aspirante à justiça - advogada, engajada, jornalista aspirante. Do tantã das avenidas, dos blocos de carnaval à força de transformação da política acreditando na informação como salvaguarda de um novo tempo: sonhadora ansiosa por fazer-valer!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui