O isolamento de Sérgio CabralO governador Sérgio Cabral (PMDB) realmente foi do céu ao inferno, se há um ano ele dizia que podia até ser vice de Dilma Rousseff (PT) hoje o PMDB Nacional não o quer nem pintado de ouro pela frente, bem, como é o PMDB se ele vier pintado de ouro eles podem fazer uma forcinha.

De acordo com o colunista de O Globo, Ilimar Franco, Sérgio Cabral está completamente isolado em seu partido, teria apenas um aliado, Eduardo Cunha. Esse isolamento, inclusive, pode vir a prejudicar a sua nomeação como ministro de Dilma e que poderia vir com uma cobrança, uma composição do PMDB com o PT aqui no Rio. Em miúdos, que Cabral retirasse a candidatura de Luiz Fernando Pezão (PMDB) que, realmente, tem pouquíssimas chances.

Inclusive, na mesma coluna, é dito que o presidente do Senador, Renan Calheiros (PMDB-AL) e um dos principais caciques do partido teria dito que seu candidato no Rio é Lindbergh Farias (PT).

Já Lindbergh está a procura de um vice para chamar de seu, ele queria o Romário (PSB), agora o boato é que seja o ex-ministro da Saúde José Gomes Temporão. Acho complicado, com a candidatura de Eduardo Campos (PSB) para presidente é quase certo que o PSB tenha um candidato próprio a governador, ou apoie um candidato da aliança de Campos.

É bem capaz de o PMDB acabar engolindo o ego e se aliando com Lindbergh, assim tem uma grande chance de salvar alguns cargos no governo estadual.

Outro que está de olho no PSB é o PSDB do Rio. O PSDB sonha em uma chapa atlética, com Bernardinho (PSDB) candidato a governador e Romário (PSB) ao Senado ou vice. Falta combinar com os dois, Bernardinho não quer ser candidato.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui