Flamengo por Maria Guimarães

Domingão, geralmente é dia de relaxar, de felicidade e descontração. Pelo menos foi assim que meu dia começou, até eu entrar em um grande site sobre esportes da internet e me deparar com a seguinte notícia: “Preços Salgados para a Final: ingresso mais barato para final da Copa do Brasil custarão R$250,00”.

Lendo essa notícia eu fiquei incrédulo e com base nela eu digo: O Flamengo já começou perdendo a decisão contra o Atlético-PR. A divulgação dos preços da final choca e afronta o torcedor de bem, apoiador incondicional do seu time e que esteve ao lado dele nos momentos mais difíceis desse ano.

Acredito que uma final realmente requer preços um pouco mais altos pelo valor e significância que a partida traduz, mas os preços praticados pela diretoria rubro-negra são ilusórios, extorsivos e criminosos.

Só para uma análise de cálculo simples o último jogo do Goiás, o ingresso mais barato, setor norte superior e inferior saiu por 100 a inteira, no entanto agora sairá por 250, ou seja, um aumento de 150% do valor.

Se a situação dos preços já está ruim, o cenário fica pior ainda, quando a diretoria anunciou que o valor de 50% para sócio torcedores será reduzido para 40%. Desse modo, um plano de sócio torcedor que já não apresenta praticamente nenhuma vantagem para o torcedor fica pior ainda as vésperas de uma final de campeonato. Contudo, o que podemos esperar de um modelo de sócio torcedor que foi criado com a alcunha de ser bom para o clube mais do que para o torcedor? Podemos esperar a sangria, e mais uma vez no papel de porcos o torcedor é sangrado pela diretoria.

A diretoria passa claramente a estratégia por fazer dinheiro rápido e fácil às custas do torcedor, que nesse momento da competição está movido pela emoção e pagará até mesmo com um rim por seu lugar no estádio.

Dessa forma, o Flamengo infelizmente segue o péssimo caminho dado pelo Atlético Mineiro, que majorou em mais de 300% o valor de seus ingressos na final da Libertadores.

A estratégia da diretoria adiciona requintes de crueldade sobre a manobra financeira, já que a venda antecipada (para essa semana) parece ser uma forma de afastar o período de venda de ingressos do final do mês( período de dinheiro mais escasso) e assim estimular a compra mesmo com altos valores. Além disso, vender antes do primeiro jogo é uma perfeita maneira de compra as cegas, visto que se vendido depois da primeira partida, a saída de ingressos poderia ser menor caso houvesse um resultado catastrófico no Paraná

Sinceramente nesse momento um sem número de torcedores está se sentindo traído, pois sempre apoiou a equipe nos momentos mais difíceis desse ano e no momento de degustarem uma possibilidade de título, esse direito será retirado de muitos.

A analogia da esposa feia cabe muito bem aqui. Um marido tinha uma esposa horrível, mas mesmo assim amava-a, e respeitava-a. No entanto, subitamente ela ganhou a possibilidade de uma extrema transformação ficando magra e até mesmo plástica ela vez. Quando tudo isso aconteceu, a primeira coisa que ela vez foi largar aquele que durante toda a sua fase feia, a tinha apoiado. A relação Flamengo X Torcedor nessa final foi mais ou menos assim.

Por fim, tenho o receio que esses preços abusivos praticados, tragam para a final um público descolado da realidade do estádio no tocante ao apoio do time e do cântico do desespero pela vitória. Sendo assim tenho medo que a final vire mais um jogo do Brasil, do que Clube de Regatas do Flamengo. Tenho medo de que no momento em que mais precisemos da torcida marca registrada do Flamengo, apareça nos estádios para torcer a intrépida e por mim temida grã-fina dos narizes de cadáver de Nelson Rodrigues, que ao aparecer no estádio perguntava quem era o homem que vestia preto

O recado que dou a diretoria é: Dinheiro não faz história de Clube, mas sim títulos e esses sim trazem dinheiro, se bem trabalhados. Não sejam preguiçosos buscando dinheiro fácil com ágio de ingresso ao invés de elaborar planos atraentes de marketing que revertam títulos em dinheiro.

OBS: O preço dos ingressos vendidos pelo Atlético-PR para o 1º Jogo são: 100 reais o mais barato.

Carlus Augustus Jourand possui 26 anos, é professor de História e Sociologia da rede federal de ensino e pesquisador no Núcleo de Estudos e Pesquisa em esporte e sociedade – UFF, além de apaixonado por esportes. Mestrando na área de Educação na UFRJ, suas pesquisas e análises sobre o esporte abordam tanto a veia do apaixonado torcedor quanto o lado do pesquisador acadêmico.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui