Marcelo Crivella

Fechada as urnas, e com 77% das urnas apuradas, Marcelo Crivella (PRB) será o próximo prefeito do Rio de Janeiro. Mas ele perderia para o não voto, que até o momento teria mais voto total do que ele, isso nem mostra uma cidade dividida e sim decepcionada com a política e com os candidatos que foram para o 2º turno.

Pois bem, se há algo positivo na história de que a IURD tem um projeto de poder, esse projeto passa por governar bem o Rio de Janeiro. Então é de esperar um certo pragmatismo de Crivella e um governo focado em uma boa administração. Mas sem nenhuma das revoluções de Freixo, especialmente no campo ético.

Na Câmara dos Vereadores, Crivella já no 2º turno conseguiu fechar uma gama enorme de alianças, incluindo no PMDB que é a maior bancada. Dos 51 vereadores certamente os 6 do PSol e os 2 do PT farão forte oposição (aqui tem a bancada eleita dos vereadores), muitos devem se declarar independentes mas ser simpáticos ao novo governo. Não houve uma grande mudança no status quo do governo municipal, até o presidente da Câmara dos Vereadores, Jorge Felippe (PMDB), deve ser mantido.

No secretariado, deve ter os candidatos derrotados no 1º turno, Indio da Costa (PSD), que pode ser secretário da Casa Civil, Carlos Osório (PSDB) em Obras, além de alguns vereadores e o Romário (PSB) voltando a indicar o secretário de Esportes e Lazer. No Transportes deve ir Fernando Mac Dowell, vice de Crivella e um nome altamente técnico e de qualidade.

Mas é certo que Marcelo Crivella terá de fazer um dos governos mais corretos da história, ele não terá paz nenhuma por parte da imprensa. Se Globo e Abril criticaram tanto ele durante a campanha, imagine como será durante o governo. Problemas em hospital, em conservação, denúncias de corrupção, serão motivo de capas de jornal e blocos inteiros no RJ Tv e isso é ótimo.

O mesmo acontecerá nas redes sociais, se elas conseguiram levar Freixo para o 2º turno, continuarão servindo de trincheira para seus militantes. Só vão ter de aprender a falar com outros sem ser eles mesmos.

Já um dos maiores problemas do novo prefeito vai ser o orçamento, o Rio já teve uma queda no orçamento para o ano que vem. A cidade vai acordar da ressaca de Copa e das Olimpíadas sem ter nenhum grande projeto para os próximos anos e sem saber como fechar a conta. Vai ser aí o grande desafio do novo governo.

Ou seja, é esperado e desejado um bom governo para Crivella mas sendo fiscalizado cada passo por uma imprensa que já se coloca na oposição e com pouco dinheiro para grandes investimentos.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui