ONG Cinema Nosso. Imagem: Reprodução.

Desde o primeiro semestre de 2020, houve um aumento no índice de desemprego entre jovens, segundo a pesquisa “Juventudes e a pandemia do Covid-19” realizada pelo CONJUVE (Conselho Nacional da Juventude) em parceria com outras instituições, na qual foram entrevistados 34 mil jovens, com idade entre 15 e 29 anos. Os dados mostram que a cada dez jovens, quatro dizem estar nessa situação devido à pandemia. Ao mesmo tempo, notou-se que 55% procuram formas de complementar a renda familiar, com 44% fora do mercado de trabalho exercendo alguma atividade remunerada informal através de bicos ou atividades sem carteira, assinada.

Para driblar essas taxas e mudar o cenário, a instituição Cinema Nosso, com patrocínio da Modal Mais através da Lei de Incentivo à Cultura – ISS, lança o LAB CN, uma formação totalmente gratuita para jovens periféricos de 18 a 29 anos de todo o Brasil. “O LAB CN faz um importante trabalho de ensino quando o assunto é cultura digital e suas múltiplas possibilidades de atuações. Tem tudo a ver com a nossa história e, principalmente, nossa visão de futuro”, conta Lidia Mathias, Head de Comunicação da Modal Mais. As inscrições estão abertas e vão até o dia 05/10 neste link.

Com duração de 200 horas no total, os inscritos poderão escolher entre três cursos online: Programação, Marketing Digital e Audiovisual para as Redes Sociais. Os conteúdos se baseiam em um aprendizado de laboratório voltado para teoria e prática da comunicação e cultura digital, além da construção de um projeto de vida focado em carreira e educação financeira. “O objetivo é formar e conectar multiplicadores em ações relacionadas à cultura digital, audiovisual e produção de mídia. Nossa proposta é instrumentalizar, através de conhecimentos do mundo digital e tecnológico, as juventudes que lideram ou querem liderar projetos culturais, potencializando a área artística e cultural brasileira”, explica Gabriela Gonçalves, coordenadora de projetos de juventude do Cinema Nosso.

Essa iniciativa da instituição visa também combater o déficit da educação na pandemia e dificuldades dos jovens à adaptação do ensino digital, onde muitos consideravam largar os estudos e, consequentemente, não sabem como se inserir no mercado de trabalho. “É um desafio ultrapassar essa barreira. Mas quando o curso parte de uma metodologia voltada para a resolução de problemas reais e criação de soluções sustentáveis (não só para o ambiente, mas para o meio social e financeiro em que o jovem está inserido e para o próprio indivíduo), é mais fácil perceber que podemos solucionar essas questões de forma mais autônoma. E nos ajuda a aguçar a visão do todo, a reconhecer potencialidades e formas mais autênticas de se inserir no mercado ou mesmo entender caminhos para empreender”, comenta Suelen Gom, aluna do Cinema Nosso.

As inscrições vão até o dia 05/10 e podem ser feitas por este link. Para mais informações, acesse o site da ONG através deste link.

carioca, estudante de Letras na UFRJ. Nascida numa segunda-feira de carnaval, se apaixonou muito cedo pela arte das Escolas de Samba. Moradora da Taquara, é Zona Oeste desde os onze anos; não dispensa um passeio pelo Centro, uma ida ao Parque de Madureira, uma volta pela Cidade das Artes ou qualquer outro evento que consiga ir. Gosta de teatro e música, às vezes se arrisca nessas áreas. Também é pseudônimo de Bárbara de Carvalho.

1 COMENTÁRIO

  1. As melhores matérias são da Babi. Importantíssimo propagar oportunidades de cultura e educação em uma época como essa de ignorância generalizada. Muitos e muitos jovens que entraram nas escolas e universidades no passado, achando que iriam surgir muitas oportunidades, vão se perder ou postergar suas objetivos. A educação é a base de um país e é justamente o que esses que estão no poder estão desestimulando moral e financeiramente pra ganhar votos e aumentar um “bolsa família” 98% engolido pela inflação.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui